08:21 23 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Soldados na base aérea russa em Hmeymim durante o desfile do 72º aniversário da Grande Guerra pela Pátria (foto de arquivo)

    Rússia inicia a formação de grupo militar permanente em bases localizadas na Síria

    © Sputnik / Dmitry Vinogradov
    Oriente Médio e África
    URL curta
    3171

    Atualmente realiza-se a formação de um grupo militar em duas bases russas situadas na Síria: na base naval Tartus e na base aérea de Hmeymim.

    Rússia já começou a formar um grupo militar permanente que irá operar na base naval Tartus e na base aérea de Hmeymim na Síria, declarou à Sputnik na terça-feira (26) o ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu.

    Ao mesmo tempo, o ministro destacou que "na semana passada o comandante supremo [Vladimir Putin] aprovou a estrutura e o contingente das principais bases em Tartus e Hmeymim, e já começou a formar um grupo permanente lá".

    Nessa conexão, o ministro russo expressou seu agradecimento ao Parlamento da Rússia por ratificar o acordo que permite ampliar a base de Tartus. Na segunda-feira (26), o Conselho da Federação da Rússia (câmara alta do Parlamento), ratificou o acordo alcançado entre Moscou e Damasco sobre a ampliação das instalações portuárias de Tartus e sua transformação em base naval capaz de acolher navios de propulsão nuclear.

    O acordo permanecerá em vigor por 49 anos, mas prevê a prorrogação por períodos de 25 anos após a expiração do prazo.

    Mais:

    Putin: Rússia continuará combatendo o terrorismo na Síria se for necessário
    Lavrov: presença militar ilegal dos EUA põe em questão integridade da Síria
    Não só tanques e aviões: 7 armamentos modernos que Moscou fez brilhar na Síria
    Pentágono acusa Rússia de provocar conflitos nos céus da Síria
    Oposição armada da Síria quer cessar-fogo
    Tags:
    grupo especial, base naval, base aérea, acordo, Conselho da Federação Russa, Ministério da Defesa (Rússia), Sergei Shoigu, Tartus, Hmeymim, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar