22:10 15 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Líbia

    França tenta intermediar processo de paz na Líbia e deposita esperanças na ONU

    © Sputnik / Andrei Stenin
    Oriente Médio e África
    URL curta
    513

    Após reunir-se com os líderes rivais da Líbia, o ministro das Relações Exteriores da França, Jean-Yves Le Drian, afirmou que não há alternativa ao processo de paz mediado pela Organização das Nações Unidas (ONU) e a realização de novas eleições em 2018.

    O país africano tem dois Governos rivais: um no leste e uma administração apoiada pela ONU na capital Trípoli, no oeste. Os dois grupos estão em conflito desde a queda de Muammar Kadhafi, em 2011.

    A França foi um dos principais atores da intervenção da OTAN contra Kadhafi e sua Força Área bombardeou o país. 

    A ONU tentou intermediar uma rodada de negociações entre os dois Governos no mês de setembro para agendar uma eleição presidencial e parlamentar, mas a iniciativa fracassou após cerca de um mês.

    "Eu disse que não há alternativa [para o plano da ONU]", disse Le Drian a jornalistas depois de se encontrar em Benghazi com o comandante militar Khalifa Haftar — que classificou a atuação da ONU como obsoleta.

    O chanceler francês disse que tanto o comandante militar Khalifa Haftar como o líder parlamentar líbio Fayez al-Seraj afirmaram a ele estarem comprometidos com a realização de eleições. 

    Le Drian também disse que o processo político ajudará a resolver a crise de milhares de imigrantes ilegais presos em centros de detenção na Líbia. O país africano é o principal ponto de partida para os migrantes ilegais que se dirigem para a Europa de barco.

    "Estou relativamente otimista sobre o que acontecerá", disse Le Drian.

    O diálogo intermediado pela ONU fracassou diante do impasse sobre o papel que Haftar deve desempenhar. O líder militar pretende ser candidato presidencial e afirma buscar um processo eleitoral seguro.

    Mais:

    Acordo de unidade política na Líbia expira e general fala em 'ilegitimidade' do governo
    Moscou está pronta para revogar embargo à Líbia após criação de forças armadas únicas
    Chanceler da Líbia: Rússia desempenhou grande trabalho ao unir nosso exército
    Aquilo que não é dito: analista explica verdadeiras razões da crise na Líbia
    Moscou: Ocidente pode se gabar de 'vitórias' no Afeganistão, Iraque e Líbia, não na Síria
    Africanos estão sendo 'cozinhados como kebabs' na Líbia
    Escravidão é 'realidade chocante' na Líbia, diz ONU
    Tags:
    OTAN, ONU, Jean-Yves Le Drian, Líbia, França
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik