12:44 17 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Migrantes líbios chegam a Trípoli

    Moscou está pronta para revogar embargo à Líbia após criação de forças armadas únicas

    © AP Photo/ Mohamed Ben Khalifa
    Oriente Médio e África
    URL curta
    280

    Moscou está pronta para iniciar o cancelamento do embargo à venda de armas imposto à Líbia após a criação de forças armadas únicas no país, mas por enquanto não há certeza de que as armas não vão parar às mãos dos terroristas, disse na entrevista à Sputnik o embaixador russo em Trípoli, Ivan Molotkov.

    O diplomata russo detalhou que a razão do embargo introduzido consiste em "não deixar que as armas fornecidas do exterior cheguem às mãos de grupos terroristas".

    No entanto, disse, logo que na Líbia sejam criadas forças armadas únicas e as muitas milícias que não reconhecem qualquer autoridade sejam dissolvidas ou integradas nas estruturas militares oficiais, a Rússia estará pronta para apoiar ou até começar a discussão do cancelamento ou atenuação das restrições contra a Líbia.

    O embaixador sublinhou igualmente que a Rússia está aberta a interagir com os Estados Unidos para resolver a crise líbia.

    Quanto à ideia de introduzir uma missão policial na Líbia, Ivan Molotkov sublinhou que em primeiro lugar os líbios devem criar órgãos de governo únicos.

    No leste do país, na cidade de Tobruk, temos o parlamento eleito pelo povo, e no oeste — o governo chefiado por Fayez Sarraj, formado com o apoio da ONU e da Europa.

    As autoridades da parte oriental do país atuam independentemente de Trípoli e cooperam com o exército nacional sob a chefia de Khalifa Hafter, que combate os militantes. No sul do país existem muitos tribos que também não se subordinam a Trípoli.

    Mais:

    Aquilo que não é dito: analista explica verdadeiras razões da crise na Líbia
    Moscou: Ocidente pode se gabar de 'vitórias' no Afeganistão, Iraque e Líbia, não na Síria
    Africanos estão sendo 'cozinhados como kebabs' na Líbia
    Tags:
    migração, missão, crise, ONU, Ivan Molotkov, Líbia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik