22:42 20 Abril 2018
Ouvir Rádio
    O líder interino da República de Chechênia Ramzan Kadyrov

    Trump põe Israel 'no abismo do confronto sangrento' de uma nova guerra, diz líder checheno

    © Sputnik / Said Tsarnaev
    Oriente Médio e África
    URL curta
    212110

    O chefe da República Chechena, Ramzan Kadyrov, descreveu o reconhecimento de Jerusalém como a capital de Israel pelo presidente dos EUA como uma facada nas costas daqueles que tentaram chegar a um acordo no Oriente Médio, e um passo em direção a uma nova guerra.

    Em uma mensagem publicada em sua página na rede social mais popular da Rússia, a VKontakte (Em Contato), Kadyrov afirmou que o reconhecimento de Donald Trump de Jerusalém como a capital de Israel foi feito apesar da opinião da comunidade internacional e em violação das resoluções aprovadas pela Nações Unidas e outras organizações internacionais influentes. Ele acrescentou que a decisão privou os palestinos da última chance de obter um Estado autônomo.

    "Em essência, esta é uma facada nas costas para aqueles que passaram as últimas décadas tentando desenvolver um algoritmo para um assentamento político e diplomático nesta região complicada", escreveu Kadyrov. Ele observou que o perigo do passo dos EUA foi especialmente evidente porque foi feito logo após o exército sírio, com o apoio da Força Aérea Russa, libertar o seu país do Daesh.

    "Como entenderemos a política do presidente dos Estados Unidos? É simples — agora sanamos nossas últimas dúvidas sobre quem criou esta base terrorista no território do Iraque e da Síria para estabelecer sua 'nova ordem mundial'", escreveu ele.

    "Posso afirmar com certeza que por isso, em suma, com uma breve decisão, Trump joga o Estado de Israel no abismo do confronto sangrento e ameaça uma Intifada nova, mais poderosa e organizada. O que significa uma guerra em grande escala", disse Kadyrov.

    No início desta semana, o presidente dos EUA, Donald Trump, assinou uma declaração reconhecendo oficialmente Jerusalém como a capital de Israel e anunciou os planos para mudar a embaixada americana para lá, saindo de Tel Aviv. "Hoje, finalmente reconhecemos o óbvio: que Jerusalém é a capital de Israel. Isso não é nada mais ou menos que um reconhecimento da realidade ", disse Trump em um discurso dedicado ao evento.

    Funcionários e políticos russos descreveram o movimento como extremamente perigoso e advertiu sobre o possível agravamento da crise no Oriente Médio. O ministro russo de Relações Exteriores, Sergei Lavrov, disse na quinta-feira que a decisão de Trump poderia destruir a própria idéia de uma coexistência pacífica dos Estados israelense e palestino.

    Mais:

    Chefe da Chechênia apela para que crianças russas sejam resgatadas do Iraque
    Líder da Chechênia revela como se pode pôr fim a recrutamento dos jovens para o Daesh
    Líder da Chechênia propõe transferir o Monte do Templo para a Jordânia
    Tags:
    Intifada, guerra, diplomacia, judeus, muçulmanos, Donald Trump, Ramzan Kadyrov, Jerusalém, Israel, Estados Unidos, Rússia, Chechênia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik