18:05 16 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Homem apreciando pôr do sol em Lagos, Nigéria

    Desenvolvimento da China pode mudar destino político africano

    © AP Photo/ Jon Gambrel
    Oriente Médio e África
    URL curta
    271

    A maioria dos países africanos conta com sistema multipartidário como resultado da terceira onda de democratização depois da Guerra Fria.

    A Nigéria, por exemplo, possui 53 partidos registrados, mas, na realidade, três partidos dominam a cena política: o Partido Democrático Popular, o Partido Congresso de Todos os Progressistas e o Partido Aliança pela Democracia.

    Nos últimos anos, alguns países ocidentais vêm pressionando de forma constante países africanos para desenvolvimento de verbas e garantia de "boa governança". Como os sistemas políticos destes países não são endógenos, eles foram sujeitos a um desenvolvimento perturbador, com muitos golpes de Estado e conflitos sangrentos durante eleições "democráticas ocidentais".

    Contudo, o fortalecimento da troca de experiência entre partidos políticos da China e da África podem promover o desenvolvimento endógeno das instituições de países africanos, bem como melhorar a forma de governar no mundo.

    O desenvolvimento da política multipartidária na África possui alguns traços comuns. Muitos partidos priorizam melhoria do processo de tomada de decisões internas e consolidação do partido. Além do mais, levam em consideração a opinião de organizações populares, de seus membros e de indivíduos que não fazem parte do partido.

    Mesmo assim, a realidade política atual no continente africano está cheia de conflitos e divisões. O tribalismo é a principal causa do atraso no avanço político do continente.

    Na Nigéria, por exemplo, há mais de 300 tribos. O país é diverso em termos cultural, linguístico, diversidade étnica e religiosa. Meio século atrás, durante o movimento de independência, alguns nacionalistas se opuseram ao estabelecimento do "país feito pelo homem". Superar o nacionalismo local é o tema-chave do desenvolvimento político nigeriano.

    A modernização da forma de governar na África exige desenvolvimento econômico e político, estabelecimento de consenso nacional, bem como integração da política nacional com todas as nações africanas.

    Bandeira da China (foto de arquivo)
    © AFP 2018 / ISAAC LAWRENCE
    Espera-se que o desenvolvimento chinês compartido com nações africanas incentive o progresso político no continente. A economia mundial não pode se desenvolver sem a China, e o gigante asiático precisa do mundo para se desenvolver.

    Vale destacar que uma parte do capital chinês é destinada para setores da economia africana, tais como agricultura, serviços e produção não modernizada, tornando-a diversificada.

    O desenvolvimento do continente africano deve ir de mãos dadas com o progresso das estruturas políticas, que são responsáveis pelo progresso cultural e econômico.

    A China tem experiência em expandir a participação política da população e garantir os direitos políticos das pessoas. O fortalecimento da troca de experiência entre os partidos políticos chineses e africanos pode dar um impulso ainda maior rumo à participação política da população e à melhora na forma de governar dos países deste continente promissor.

    Mais:

    Ataque com homem-bomba deixa 12 mortos na Nigéria
    Explosão em mesquita na Nigéria mata dezenas de pessoas na hora da oração matinal
    China pode estar se preparando para 'fase ativa da guerra econômica' contra EUA
    Tags:
    diversidade étnica, partido, eleições, Guerra Fria, democratização, desenvolvimento econômico
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik