18:48 14 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Nobre Santuário ou Monte do Templo, na Cidade Velha de Jerusalém

    Opinião: reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel causaria problemas para EUA

    © REUTERS/ Eliana Aponte/File Photo
    Oriente Médio e África
    URL curta
    A aventura da capital de Israel (56)
    681

    O presidente dos EUA, Donald Trump, declarou que reconhece Jerusalém como capital de Israel. O cientista político russo Vyacheslav Smirnov disse ao serviço russo da Rádio Sputnik que o presidente norte-americano não olha para o futuro.

    Ontem (6), Trump declarou que reconhece Jerusalém como capital de Israel. Trump assinou um documento autorizando a transferência da Embaixada dos EUA de Tel Aviv para Jerusalém.

    Segundo Smirnov, essa decisão criará mais um problema para os EUA no Oriente Médio.

    "Devemos entender que Trump frequentemente não olha para o futuro. Durante a sua campanha eleitoral ele prometeu reconhecer Jerusalém como capital de Israel. Ele tem boas relações com o primeiro-ministro israelense. E Trump fez essa declaração. Possivelmente, o Departamento de Estado é contra essa decisão, mas Trump é presidente e ele deu este passo", disse o especialista.

    Smirnov também fez suas previsões sobre a influência da decisão do presidente norte-americano no agravamento do conflito israelense-palestino.

    "Não acho que a decisão provoque uma guerra, mas, sem dúvida, a Autonomia Palestina irá amaldiçoar os norte-americanos ainda mais. Na verdade, hoje em dia não existe uma solução para o conflito israelense-palestino. A comunidade internacional não pode influenciar nem uma parte, nem outra. Como resultado, daqui a 50-60 anos nesse território ficará apenas uma delas. Quanto ao futuro próximo, não existe uma solução que satisfaça ambas as partes", concluiu o cientista político.

    Israel considera Jerusalém como a sua capital "única e indivisível", incluindo suas zonas orientais e o centro histórico, reconquistados há cinquenta anos à Jordânia.

    Entretanto, a maioria dos países não reconhece esta anexação e vê o assunto como um dos problemas principais do conflito israelense-palestino, que deveria ser resolvido na base de um acordo com os palestinos. Por isso, todas as embaixadas estrangeiras em Israel, incluindo a norte-americana, se situam em Tel Aviv.

    Tema:
    A aventura da capital de Israel (56)
    Tags:
    relações bilaterais, Donald Trump, Israel, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik