17:04 14 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Soldados israelenses na Cisjordânia, 24 de agosto de 2016

    Israel envia mais tropas à Cisjordânia após reconhecimento de Jerusalém como capital

    © AFP 2017/ JAAFAR ASHTIYEH
    Oriente Médio e África
    URL curta
    A aventura da capital de Israel (56)
    683

    O exército israelense enviou vários batalhões e unidades de reconhecimento e proteção do território para a Cisjordânia após o Estado-Maior ter avaliado a situação, segundo informa o RT.

    Os habitantes dos territórios palestinos estariam preparando ações de protesto contra a designação de Jerusalém como capital de Israel, diz o RT, citando o Twitter do órgão militar. 

    "Logo após o Estado-Maior [de Israel] ter examinado a situação de segurança, foi tomada a decisão de aumentar as nossas forças na Judeia e Samaria [denominação da Cisjordânia usada por Israel] com o envio de vários batalhões", diz um comunicado da assessoria de imprensa do exército israelense.

    Esta quarta-feira (6), o presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou que seu país reconhece a cidade de Jerusalém como capital de Israel.

    Em 1980, Israel declarou Jerusalém sua capital "única e indivisível", incluindo a parte oriental da cidade, ocupada em 1967 depois do fim da Guerra dos Seis Dias. Os palestinos, por sua vez, consideram Jerusalém Oriental como a capital de seu país.

    O estatuto da cidade se tornou um dos problemas centrais do conflito israelo-palestino, que deveria ser resolvido na base de um acordo com os palestinos. Por isso, todas as embaixadas estrangeiras em Israel se encontram em Tel Aviv.

    O líder norte-americano, porém, já autorizou a transferência da embaixada norte-americana de Tel Aviv para Jerusalém. A declaração provocou enormes protestos entre os palestinos.

    Tema:
    A aventura da capital de Israel (56)

    Mais:

    Belém apaga luzes natalinas devido à postura dos EUA sobre Jerusalém
    Netanyahu pede que todos os países reconheçam Jerusalém como capital de Israel
    Tags:
    Jerusalém, Palestina, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik