07:12 26 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Ataque terrorista de 14 de outubro, na Somália.

    Aumenta a contagem de mortos causados pelo '11 de setembro' da Somália

    © AP Photo / Farah Abdi Warsameh
    Oriente Médio e África
    URL curta
    315

    O número de mortos após um caminhão-bomba explodir na capital da Somália em 14 de outubro é, na verdade, maior do que estimado inicialmente. O comitê encarregado de investigar o atentato afirmou que o número de mortos é de 512 pessoas, e não 350.

    De acordo com o relatório do comitê, obtido pela Associated Press, outras 312 pessoas foram feridas no atentado de Mogadíscio e 62 continuam desaparecidas.

    Poucos ataques terroristas foram tão letais quanto o ocorrido no país africano desde o 11 de setembro de 2001, de acordo com o Banco Mundial de Terrorismo da Universidade de Maryland.

    O governo da Somália culpou o grupo extremista Al-Shabaab, ligado à Al-Qaeda. As autoridades afirmam que a explosão, que ocorreu em uma rua lotada, foi causada por uma bomba que pesava entre 600 quilos e 800 quilos.

    O ataque causou uma grande comoção no país e os somalis passaram a chamá-lo de "nosso 11 de setembro". Houve um grande fluxo de doadores de sangue e os familiares das vítimas procuraram por sobreviventes nos escombros das explosões durante dias.

    A população local também organizou um protesto de dezenas de milhares de pessoas contra o atentando terrorista.

    O grupo terrorista Al-Shabab tem recuado nos últimos anos, mas ainda controla grandes partes do sul e do centro da Somália e realiza ataques em locais urbanos como a capital Mogadíscio. Funcionários da inteligência somali disseram que a enorme bomba do caminhão na verdade tinha como objetivo atingir o aeroporto local — onde vários países têm embaixadas. Mas o local é fortemente protegido e a explosão foi realizada em uma rua lotada após soldados perceberem a ameaça e dispararem contra o veículo. 

    O Al-Shabaab é o grupo terrorista mais mortal da África e foi alvo neste ano de quase 30 ataques de drones dos Estados Unidos depois do governo de Donald Trump aprovar a ampliação das atividades no país. Mais de 500 militares estadunidenses estão na Somália.

    Mais:

    EUA realizam ataque aéreo contra o Daesh na Somália
    EUA atacam militantes do Daesh na Somália
    Fortes explosões atingem Mogadíscio e deixam vários feridos na Somália (FOTOS, VÍDEOS)
    Somália: carro-bomba explode nos arredores de Mogadíscio
    Dezenas de milhares de pessoas protestam na Somália contra ato terrorista
    Voluntários da Cruz Vermelha são mortos em grande explosão da Somália
    Explosão de carro-bomba deixa vítimas na Somália
    Força Aérea dos EUA elimina comandante do grupo radical Al-Shabaab na Somália
    Tags:
    Al-Qaeda, Al-Shabaab, Estados Unidos, Somália
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik