04:48 23 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    643
    Nos siga no

    O Conselho dos Direitos Humanos da ONU ordenou em 2016, a compilação de uma lista de empresas que atuam em assentamentos ilegais de Israel na Cisjordânia, mas a divulgação pode ser bloqueada com a ajuda do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

    Ministério das Relações Exteriores da Rússia na Praça Smolenskaya-Sennaya, Moscou
    © Sputnik / Natalia Seliverstova
    A proposta do Conselho é investigar "as implicações dos assentamentos israelenses em territórios reivindicados pelos palestinos". Cerca de 100 empresas locais e 50 internacionais (sobretudo europeias e americanas) receberam cartas de advertência sobre o assunto.

    "Vamos fazer tudo o que pudermos para garantir que a lista não veja a luz do dia", disse o embaixador de Israel na ONU, Danny Danon conforme citado pela Associated Press.

    Seguindo posição quase unânime da comunidade internacional e com o apoio de Barack Obama, o Conselho de Segurança votou ano passado a favor de declarar ilegal os assentamentos israelenses. Em resposta, Israel aprovou a construção de 3 mil novos assentamentos, além de legalizar os 2500 já existentes.

    Tags:
    Associated Press, Conselho de Segurança da ONU, Danny Danon, Donald Trump, Barack Obama, Estados Unidos, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar