01:26 17 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Voo da aviação russa na Síria

    Lavrov acusa coalizão liderada pelos EUA de impedir operações da aviação russa na Síria

    Ministério da Defesa
    Oriente Médio e África
    URL curta
    14292
    Nos siga no

    O chefe da Chancelaria da Rússia, Serguei Lavrov acusa coalizão liderada pelos EUA de impedir operações da aviação russa na Síria.

    Sergei Lavrov acusou a coalizão internacional liderada por Washington de criar obstáculos ao trabalho da aviação da Rússia na Síria.

    "As ações do Exército sírio, apoiadas pela Força Aeroespacial da Rússia e destinadas a eliminar os combatentes restantes do Daesh, foram impedidas, tendo sido necessário mais tempo para alcançar nossos objetivos", declarou.

    Ao comentar as afirmações do Pentágono segundo as quais os EUA têm o direito legal, autorizado pela ONU, de posicionar suas forças na Síria, o ministro russo declarou que estas são "absurdas".

    "Os EUA tentam justificar sua presença [na Síria], que é ilegítima, pois não se baseia nem em uma decisão do Conselho de Segurança da ONU, nem em um pedido do governo legítimo [sírio]", explicou.

    Além disso, o chanceler russo foi questionado se a Rússia tem provas de que os EUA alegadamente estão em conluio com o Daesh (organização terrorista proibida em muitos países, incluindo a Rússia).

    "Não posso falar sobre um conluio. Usamos fatos. Não temos provas de que tenha havido algum conluio", declarou ele em resposta.

    Evacuação de combatentes do Daesh de Raqqa

    As declarações do chanceler russo são uma resposta ao relatório publicado pela BBC, de acordo com o qual em outubro as Forças Democráticas Sírias (SDF), apoiadas pelos EUA, permitiram a cerca de 250 jihadistas do Daesh e 3.500 membros das suas famílias sair da cidade síria de Raqqa.

    Anteriormente, a agência Reuters tinha informado, citando um porta-voz da milícia, que 275 terroristas do Daesh tinham saído de Raqqa com base em um acordo atingido com a coalizão liderada pelos EUA. Entre 200 e 300 outros combatentes, na maioria de origem estrangeira, tinham ficado na cidade.

    Mais:

    EUA: 95% da Síria estão livres do Daesh
    Pentágono recusa propostas russas de coordenar os ataques contra Daesh
    Exército sírio encontra armazéns com armas letais do Daesh em Deir ez-Zor
    Turquia acusa curdos sírios por colaborarem com o Daesh em retirada de Raqqa
    Tags:
    combate ao terrorismo, coalizão internacional, operação, presença militar, convite, permissão, aviação, Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Força Aeroespacial da Rússia, Daesh, Conselho de Segurança da ONU, ONU, Sergei Lavrov, Raqqa, Síria, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar