09:14 22 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    Militares das Forças Democráticas da Síria celebram libertação de Raqqa

    Turquia acusa curdos sírios por colaborarem com o Daesh em retirada de Raqqa

    © REUTERS/ Erik De Castro
    Oriente Médio e África
    URL curta
    546050

    A saída liberada dos terroristas do grupo islâmico Daesh da cidade síria de Raqqa é resultado de um acordo alcançado entre os jihadistas e as Forças Democráticas Sírias (SDF), lideradas pelos curdos, disse nesta terça-feira o Ministério de Relações Exteriores da Turquia.

    Na quinta-feira, a Missão Permanente da Síria para as Nações Unidas informou que enviou cartas dizendo que a coalizão liderada pelo Daesh garantiu a retirada de terroristas de Raqqa e Deir ez-Zor.

    A emissora da BBC informou que os motoristas contratados pelo SDF foram forçados a evacuar cerca de 250 jihadistas e cerca de 3.500 membros de suas famílias de Raqqa em um comboio composto por cerca de 50 caminhões, 13 ônibus e mais de 100 veículos do Daesh em outubro.

    Os jihadistas, incluindo os mercenários estrangeiros do Azerbaijão, da China, do Egito, da França, do Paquistão, da Arábia Saudita, da Tunísia, da Turquia e do Iêmen, tiraram de Raqqa tudo o que podiam, incluindo armas e munições.

    "É uma revelação extremamente grave e reveladora de que as chamadas ‘Forças Democráticas Sírias’ dominadas pelo Partido da União Democrática Curdo da Síria (PYD) e pelas Unidades de Proteção do Povo Curdo (YPG), a extensão síria da organização terrorista Partido do Trabalhador do Curdistão (PKK), negociaram um acordo com a organização terrorista Daesh para evacuar um grande número terroristas de Raqqa, enquanto a operação para limpar o Daesh de Raqqa já estava em andamento", disse o comunicado.

    De acordo com o ministério, o acordo estabelece um novo exemplo do fato de que "combater uma organização terrorista com outra resultaria em que essas organizações terroristas se encolhem umas nas outras".

    No mês passado, o SDF anunciou a libertação completa de Raqqa, que foi tomada pelo Daesh em 2014, e o grupo proclamou a cidade como a capital da organização.

    Ancara considera que as YPG estão afiliadas ao PKK, que está listado como um grupo terrorista na Turquia, nos Estados Unidos e na União Europeia. No entanto, o PYD e o YPG, bem como o SDF, receberam apoio dos Estados Unidos na luta contra o Daesh.

    Mais:

    Parlamentar russo: EUA estão 'guardando' o Daesh para uma nova ocasião
    Defesa russa divulga imagens de comboio do Daesh poupado por coalizão dos EUA
    Daesh irrompe no ar de rádio europeia apresentando canção jihadista
    Tags:
    guerra síria, conflito sírio, guerra, terrorismo, União Europeia, Unidades Populares de Proteção do Curdistão (YPG), Partido da União Democrática (PYD), Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), Forças Democráticas Sírias (SDF), Deir ez-Zor, Raqqa, Síria, Ancara, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik