03:11 26 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    591
    Nos siga no

    A Turquia declarou que firmou com a Rússia um acordo sobre o suprimento de sistemas de defesa antiaérea S-400, já que não conseguiu receber sistemas análogos por parte da OTAN. O especialista militar, Igor Korotchenko, em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, opinou que Turquia tomou uma decisão que também é política.

    O primeiro-ministro da Turquia, Binali Yildirim, relacionou a assinatura do acordo cobre o suprimento dos sistemas de defesa antiaérea S-400 com o fato de Ancara não ter conseguido receber sistemas análogos dos países da OTAN. Contudo, o acordo não vai influenciar as relações entre a Turquia e a Aliança Atlântica, afirmou Yildirim.

    "Não intencionamos rejeitar a OTAN. Precisamos desta colaboração com a Rússia para que no futuro próximo possamos eliminar as ameaças à Turquia", cita o ministro o jornal Hurriyet.

    De acordo com ele, Ancara não tinha outra saída. Segundo disse, devido à ausência de sistemas modernos de defesa antiaérea, a Força Aérea da Turquia não conseguiu eliminar 71 mísseis lançados a partir do território sírio. No resultado, 29 pessoas morreram.

    Em setembro, a Turquia e a Rússia assinaram um acordo sobre o fornecimento dos sistemas S-400. O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan informou que Ancara já efetuou o primeiro pagamento. Em resposta, o Pentágono afirmou que para Ancara seria melhor comprar sistemas de defesa antiaérea compatíveis com os armamentos da OTAN. O representante da aliança frisou que Washington comunicou às autoridades turcas suas preocupações quanto à compra dos S-400.

    O senador mais antigo dos EUA, Ben Cardin, apelou a que o presidente norte-americano, Donald Trump, introduza sanções contra Ancara devido ao acordo com Moscou.

    Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, o especialista militar Igor Korotchenko assinalou que Ancara fez uma escolha militar, política e geopolítica.

    "S-400 é o melhor sistema de defesa antiaérea entre todos os que estão hoje representados no mercado. Os integrantes europeus da OTAN não fabricam tal tipo de sistemas, só os EUA os produzem. Neste caso, Erdogan e a Turquia em geral fizeram uma escolha política. Não quiseram comprar os sistemas norte-americanos, já que os EUA equipam seus sistemas com ‘chips’. O Iraque lidou com isso quando um sinal via satélite desativou o sistema francês de defesa antiaérea na véspera do ataque dos norte-americanos. Por isso, para Erdogan, que hoje em dia tem relações muito ruins com a OTAN, especialmente com os EUA, era muito importante comprar precisamente os sistemas russos, já que eles podem garantir proteção e nem os EUA, nem a OTAN poderão influenciar seu funcionamento. Por isso, é uma escolha militar, política e geopolítica. É um reflexo da potência da Rússia, porque, geralmente, negocia-se com um país que é confiável e que é soberano quando toma decisões principais", ressaltou Igor Korotchenko.

    Mais:

    OTAN faz ameaça à Turquia por adquirir sistemas S-400 russos
    Rússia ampliará seu escudo antimíssil com novo regimento de S-400 em 2017
    Mídia: EUA não têm nada a contrapor aos S-400 russos
    Tags:
    s-400, defesa antiaérea, OTAN, Binali Yildirim, Turquia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar