23:59 03 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    9141
    Nos siga no

    O general de brigada sírio Heitham Hassoun declarou que após Al-Bukamal o exército sírio continuará combatendo os terroristas que restam no país. No que diz respeito à direção do próximo ataque, há várias opções.

    "Primeiro, é a libertação da província de Raqqa, ocupada pelos americanos por meio das assim chamadas Forças Democráticas da Síria (FDS). A segunda opção é nos dirigirmos à província de Idlib", diz.

    Muito provavelmente a operação será realizada em Raqqa, porque ela fica mais próxima do atual local de posicionamento das forças armadas sírias.

    O general destacou que para o sucesso da operação em Raqqa irão contribuir as últimas mudanças no Iraque: como as fronteiras agora são controladas por Bagdá, as FDS já não conseguirão atravessar a fronteira tão livremente.

    Deputado sírio, Walid al Zuubi, que falou à Sputnik Árabe, opina, no entanto, que a próxima operação será realizada em Idlib, onde são registrados os confrontos permanentes, apesar de esta zona ter sido declarada como zona de desescalada.

    "A situação é agravada pelo fato de Idlib ficar na fronteira com Turquia, cujas tropas entraram na província síria sem autorização", frisou o político, que acredita que depois de Idlib a Síria será completamente libertada dos terroristas em alguns meses.

    O último baluarte do Deash após Deir ez-Zor, a cidade de Al-Bukamal, foi completamente libertado pelas tropas governamentais sírias já hoje. Este se tornou mais um sucesso estratégico na luta contra o terrorismo.

    Mais:

    Exército sírio destrói último bastião do Daesh em seu país
    Exército sírio entra em Abu Kemal – maior bastião do Daesh no país
    Por quem os EUA substituirão o Daesh para continuarem conflito na Síria?
    Tags:
    exército sírio, Daesh, Forças Democráticas Sírias (SDF), Idlib, Raqqa, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar