09:47 13 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    O vice-príncipe herdeiro e ministro da Defesa da Arábia Saudita Mohammad bin Salman

    Reviravolta histórica? Príncipe saudita promete abrir o país 'para todas as religiões'

    © REUTERS / Stringer
    Oriente Médio e África
    URL curta
    12171
    Nos siga no

    O príncipe herdeiro saudita, Mohammad bin Salman, anunciou a intenção de converter o país em um Estado "aberto para todas as religiões e todo o mundo". O político, que ocupa o cargo de ministro da Defesa do país e de assistente do primeiro-ministro, fez estas declarações durante um fórum econômico celebrado em Riad.

    "Continuaremos sendo aquilo que éramos antes: um país do islã moderado", afirmou o príncipe. "Não vamos gastar 30 outros anos de vida com ideias destrutivas. Vamos eliminá-las", adiantou, citado pela emissora Al Arabiya.

    De acordo com a mídia, esta declaração do príncipe acaba por ser "um ataque mais direto de um funcionário de alto cargo" contra o estabelecimento religioso conservador do país árabe.

    A vida da Arábia Saudita é regida pela Lei básica, de 10 capítulos e 83 artigos, um documento parecido — em certos aspectos — com constituições de outros países, assinala a edição russa RBK.

    De acordo com o documento, aprovado em 1992, o islã é declarado a religião do país, e o Alcorão e a Suna (a compilação de instruções do profeta Maomé) são a Constituição "formal".

    A Lei básica apela a todos os cidadãos sauditas para que defendam a fé muçulmana e também recomenda a aplicação das leis da xaria pelos tribunais, entre outros aspectos.

    Em meio a conflitos no Oriente Médio, Riad foi várias vezes acusada de apoiar, ou, pelo menos, manter uma postura neutra em relação a grupos extremistas sunitas.

    Ademais, o país tem relações muito tensas com nações muçulmanas de maioria xiita, como o Irã, e também com grupos de dominação xiita, tais como houthis no Iêmen, país onde a Arábia Saudita realiza hoje em dia uma operação militar que afeta gravemente a situação humanitária.

    Mohammad foi nomeado príncipe herdeiro em 21 de junho de 2017. O político visitou a Rússia três semanas antes de sua nomeação, onde se reuniu com o presidente russo. Em outubro, o próprio rei saudita, Salman bin Abdulaziz al Saud, fez uma visita histórica a Moscou para tratar diferentes temas políticos e os de cooperação bilateral.

    Mais:

    Tillerson critica 'falta de interesse' saudita para pôr fim ao impasse com o Qatar
    Rússia quer mediar reaproximação entre 'inimigos' Irã e Arábia Saudita
    Damasco acusa a Arábia Saudita de fornecer mísseis antitanque a terroristas na Síria
    Tags:
    islã, religião, Mohammad bin Salman, Salman bin Abdulaziz Al Saud, Irã, Arábia Saudita, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar