15:22 20 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    Caça da Força Aeroespacial russa Su-30SM decola da base aérea de Hmeymim

    Deputado russo considera pouco provável que Rússia se retire da Síria em 2017

    © Sputnik/ Ramil Sitdikov
    Oriente Médio e África
    URL curta
    21180100

    O prazo da retirada do contingente militar russo da Síria depende dos resultados das negociações em Astana e da cessação da interferência externa, algo que não acontecerá até o fim do ano, disse à Sputnik o chefe do Comitê de Defesa da Duma de Estado da Rússia, Vladimir Shamanov.

    "Em minha opinião, é pouco provável que isso [a retirada dos militares russos da Síria] ocorra até o fim do ano. Penso que é algo que se estenderá ao ano que vem, mas tudo dependerá do estabelecimento da paz […] É necessário compreender que a fase final é a mais complexa, tudo dependerá de como funcionará [o diálogo sírio] em Astana, como se controlará a interferência externa", disse ele.

    O deputado destacou que a Rússia já retirou parcialmente suas forças da Síria, em particular, recentemente foi reduzido o grupo aéreo.

    O ministro da Defesa da Rússia, o general do exército Sergei Shoigu, anunciou anteriormente que a operação contra os terroristas na Síria está chegando ao fim. Entretanto, ele destacou que existem vários temas que requerem uma solução e debate urgentes sobre o futuro do país.

    No fim de setembro de 2015 a Rússia lançou uma operação aérea para apoiar o Exército sírio na sua luta contra terrorismo a pedido do presidente sírio Bashar Assad.

    O conflito armado na Síria se arrasta desde março de 2011. Pelos dados da ONU, a guerra já levou a vida a mais de 400 mil pessoas.

    Mais:

    Rússia e Índia reúnem Forças Armadas para exercícios pela primeira vez
    Rússia prende 4 suspeitos de planejar ataque terrorista
    China faz mais uma aposta na Rússia
    Tags:
    operação militar, forças armadas, terrorismo, Vladimir Shamanov, Rússia, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik