06:00 23 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Manifestação anti-EUA em Teerã, Irã (arquivo)

    Diplomata: igualar Guardiões da Revolução Islâmica a terroristas trará 'efeitos nocivos'

    © REUTERS/ Raheb Homavandi
    Oriente Médio e África
    URL curta
    326340

    A possível inclusão do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica na lista das organizações terroristas terá consequências negativas para a segurança na região e no mundo, declarou à Sputnik uma fonte do Ministério das Relações Exteriores russo.

    "Nas circunstâncias atuais de uma grande presença ilegal dos serviços secretos dos EUA na Síria [esta medida] pode ter consequências negativas no terreno para o Médio Oriente, tal como para a segurança global", disse.

    Segundo o diplomata, "os EUA acusam de terrorismo uma entidade militar de um país estrangeiro, o que poderia levar o Irã a tomar medidas de retaliação; sabemos que nas relações entre os Estados existe o princípio de reciprocidade, que desencadeia a perigosa espiral de 'olho por olho, dente por dente'".

    "As acusações contra a Guarda Revolucionária, ao nosso ver, nas condições atuais na Síria se inscrevem em uma política 'equivocada' dos norte-americanos, que não resultará na eliminação dos terroristas, somente vai obstaculizar o processo", acha.

    O interlocutor do ministério explicou que esta política visa "antes de mais enfraquecer a pressão militar que é feita sobre os terroristas".

    O Corpo de Guardiões iraniano, assinalou o diplomata russo, "é diferente de muitos outros, incluindo dos membros da coalizão antiterrorista encabeçada pelos EUA, são participantes experientes, ativos e eficazes dessa luta".

    "Talvez ele seja um elemento da frente antiterrorista unida, como a Rússia a concebe, que pode aniquilar os terroristas de um modo eficaz por meio de esforços conjuntos e com ajuda dos que podem dar sua contribuição no terreno", explicou.

    Anteriormente, a mídia informou que Washington tem a intenção de incluir esta formação militar iraniana na lista das organizações terroristas.

    Ao comentar esta informação, o ministro das Relações Exteriores iraniano, Mohammad Javad Zarif, declarou que o Irã poderia responder com firmeza aos EUA, e o comandante da Guarda Revolucionária, general Mohammad Ali Jafari, anunciou que o Corpo trataria os militares dos EUA do mesmo modo que o grupo terrorista Daesh.

    Mais:

    Rússia quer mediar reaproximação entre 'inimigos' Irã e Arábia Saudita
    Rússia: Irã tem direito de sair do acordo nuclear se EUA reestabelecerem sanções
    Trump e May conversam por telefone sobre Irã
    Tags:
    lista de países patrocinadores do terrorismo, terrorismo, luta, exército, Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica, Mohammad Javad Zarif
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik