00:13 20 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Preparativos para o referendo sobre a independência no Curdistão iraquiano

    Curdistão: Após ordem de prisão por referendo, Iraque e Irã planejam 'grande ataque'

    © REUTERS / Azad Lashkari
    Oriente Médio e África
    URL curta
    897
    Nos siga no

    As forças do governo do Iraque e os paramilitares iraquianos treinados pelo Irã estão "preparando um grande ataque" às forças curdas na área de Kirkuk, disse o governo regional do Curdistão nesta quarta-feira.

    "Estamos recebendo mensagens perigosas de que as forças iraquianas, incluindo a Mobilização Popular e a Polícia Federal, estão preparando um grande ataque ao Curdistão", disse o Conselho de Segurança do KRG no Twitter, cuja mensagem foi confirmada à Agência Reuters por um funcionário curdo.

    Os ataques estão sendo preparados nas áreas de Kirkuk e Mossul, disse a mesma fonte.

    A notícia surge no mesmo dia em que um tribunal iraquiano decidiu prender as lideranças da comissão independente responsável pelo referendo sobre a independência do Curdistão iraquiano, realizado no mês passado.

    "O tribunal de investigação decidiu prender o chefe e os membros da comissão envolvidos na organização do referendo no Curdistão", disse um porta-voz do tribunal em um comunicado.

    Um porta-voz do Conselho Supremo do Judiciário do Iraque disse que os mandados de Hendreen Mohammed e seus assessores foram emitidos por um tribunal de Bagdá por "violar uma decisão judicial válida (iraquiana) que considerou inválido o voto de independência".

    Um funcionário do ministério da justiça no governo regional do Curdistão rejeitou a decisão do tribunal de Bagdá como "motivada politicamente" e disse que o próprio Judiciário do Curdistão era independente de Bagdá e não reconheceu suas decisões legais.

    Não se sabia como Bagdá poderia realizar os mandados de prisão, já que as forças do governo central não têm poderes no território dos curdos.

    O referendo na região norte autônoma controlada pelos curdos no Iraque aumentou os temores de um conflito mais amplo, já que também era reprovado pela vizinha Turquia e pelo Irã, ambos com minorias curdas consideráveis, bem como um enfraquecimento da campanha apoiada pelos Estados Unidos contra militantes do Daesh.

    Como retaliação, o governo central iraquiano tomou medidas punitivas sobre o voto de independência, impondo sanções aos bancos curdos e proibindo voos internacionais para a região curda.

    Bagdá também está buscando impor controle sobre as operadoras de telefonia móvel baseadas no Curdistão e transferir sua sede para a capital para aumentar a pressão sobre as autoridades curdas.

    Mais:

    Embaixador do Iraque nega a possibilidade de um conflito armado entre Bagdá e Curdistão
    'Querem criar um novo Israel', diz líder do Irã sobre referendo do Curdistão
    Israel usou o Mossad para interferir no referendo no Curdistão, diz Erdogan
    Tags:
    guerra, diplomacia, região separatista, separatismo, referendo, Hendreen Mohammed, Turquia, Irã, Iraque, Curdistão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar