20:37 26 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    18453
    Nos siga no

    Na lista dos líderes do grupo Daesh (proibido na Rússia e em vários outros países), eliminados pela Força Aeroespacial russa na Síria, apareceu Abu Omar al-Shishani, cuja morte foi relatada pelos EUA no ano passado. De acordo com especialista, isso revela as "fraudes" estadunidenses no decorrer da luta antiterrorista.

    Nos últimos dias, se realizou um estudo abrangente dos resultados do ataque da aviação russa na zona norte da cidade síria de Abu Kamal, perto da fronteira síria-iraniana. Foi revelado que este ataque destruiu um posto de comando do Daesh e eliminou mais de 30 terroristas, incluindo Abu Omar al-Shishani, também conhecido como Tarkhan Batirashvili, que se distinguia dos outros jihadistas por usar uma barba ruiva.

    Cabe assinalar que, na primavera de 2016, o Pentágono anunciou a morte de Batirashvili na sequência de um ataque aéreo na área de Al-Shaddadah. De acordo com os relatórios dos EUA, o terrorista recebeu vários ferimentos e morreu alguns dias depois, dado que seu corpo foi encontrado por soldados iraquianos.

    Casos como esse revelam os verdadeiros objetivos da coalizão internacional, liderada pelos EUA, na Síria e voltam a demonstrar a eficácia dos militares russos e sírios no combate ao terrorismo, afirma Aleksandr Perendzhiev, cientista político da Universidade de Economia Plekhanov da Rússia.

    "Os norte-americanos proclamam a eliminação de terroristas que logo ressuscitam. Isso ocorre porque certos generais dos EUA querem atribuir a si os méritos e passar informações falsas aos meios de comunicação", disse o especialista ao jornal russo Vzglyad.

    Na opinião do cientista político, é possível que entre as falsas vítimas "eliminadas" pelos Estados Unidos existam membros dos grupos que os próprios americanos controlam, que são aconselhados a ficar na clandestinidade por algum tempo.

    O reaparecimento de al-Shishani e outros comandantes indica que a aviação russa está pressionando muito os terroristas e eles simplesmente não têm jeito de se esconderem.

    "Todos os terroristas que se tinham escondido já saíram. Eles não têm outra escolha. O território onde eles estão se torna cada vez mais estreito. Portanto, agora a Força Aeroespacial da Rússia os elimina em grandes quantidades", disse o especialista.

    De acordo com o recente comunicado do porta-voz do Ministério da Defesa da Rússia, Igor Konashenkov, os aviões russos destruíram um posto de comando do grupo terrorista Daesh perto da cidade síria de Mayadin, eliminando 80 terroristas.

    Outro grupo de islamistas foi atacado perto da cidade de Abu Kamal. Como resultado, cerca de 40 radicais foram mortos.

    Finalmente, uma unidade de terroristas provenientes do norte da África — Egito e Tunísia — foi abatido no vale do Eufrates no sul de Deir ez-Zor. De acordo com Konashenkov, o ataque aéreo matou mais de 60 radicais, incluindo vários líderes do Daesh que se escondiam no Iraque.

    Mais:

    Líder do Talibã pede que seus militantes parem de lutar contra o Daesh
    Combatentes do Daesh atacam tropas sírias a partir de zona 'da missão militar dos EUA'
    Coronel expõe nova região de instalação do Daesh
    Tags:
    terroristas, Ministério da Defesa (Rússia), Força Aeroespacial da Rússia, Daesh, Pentágono, Abu Omar al-Shishani, Igor Konashenkov, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar