13:19 20 Janeiro 2018
Ouvir Rádio
    Militares do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica (foto de arquivo)

    Guardiões da Revolução Islâmica procuram considerar exército dos EUA equivalente a Daesh

    © REUTERS/ MORTEZA NIKOUBAZL
    Oriente Médio e África
    URL curta
    7120

    Foi comunicado que o chefe do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica prometeu equiparar o exército dos EUA com o Daesh (organização proibida na Rússia e em vários outros países) caso os EUA a ponham na lista de grupos terroristas.

    O chefe do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica, Mohammad Ali Jafari, citado pela agência de notícias iraniana Tasnim, afirmou também este domingo (8) que os EUA estiveram errados quanto à pressão que exerceram sobre o Irã durante as negociações sobre questões regionais.

    O programa de mísseis iraniano causou descontentamento e preocupações por parte de outros estados, em particular, dos EUA. Apesar das tentativas de Washington de incluir termos quanto aos mísseis balísticos no Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, sigla em inglês; acordo internacional acerca do programa nuclear iraniano), a proposta não foi apoiada por outros signatários.

    No final de julho de 2017, os EUA impuseram sanções contra Teerã tendo como alvo seu programa de mísseis balísticos. O Irã respondeu aos EUA alocando mais dinheiro a seu programa.

    Depois do primeiro discurso de Trump no âmbito da Assembleia Geral da ONU, no qual o presidente norte-americano acusou Teerã de uma forma dura, o Irã revelou seu míssil balístico Khorramshahr durante um desfile militar dedicado à Semana da Defesa Sagrada anual.

    Em 21 de setembro, o secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, admitiu que, de acordo com a Agência Internacional de Energia Atômica (IAEA, sigla em inglês), Teerã atua em conformidade com o acordo nuclear.

    Em 5 de outubro, foi relatado que o presidente dos EUA pretendia anunciar o cancelamento do acordo nuclear com o Irã na próxima semana. 

    Mais:

    Irã afirma que seu programa de mísseis balísticos não é negociável
    Por que EUA provocam Irã?
    Opinião: Irã continuará sendo vencedor mesmo que EUA anulem acordo nuclear
    Tags:
    pressão, Exército dos EUA, Daesh, Irã, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik