03:40 23 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Soldados nigerianos exibem bandeira do Boko Haram apreendida na retomada da cidade de Damasak, em 18 de março de 2015

    Nigéria fará julgamento coletivo a portas fechadas de 2.300 membros do Boko Haram

    © REUTERS / Emmanuel Braun
    Oriente Médio e África
    URL curta
    0 60

    Mais de 2.300 suspeitos de participarem do grupo terrorista Boko Haram serão julgados na Nigéria a partir de segunda-feira. O processo, entretanto, será fechado para o público.

    Alguns réus estão presos desde o início do conflito, há oito anos. Até hoje, apenas 13 pessoas foram julgadas por seus vínculos com a insurgência islâmica, segundo dados oficiais.

    O caso atual de maior destaque é o de Khalid Al-Barnawi, líder do grupo Boko Hara em Ansaru e acusado de sequestro e assassinato de 10 estrangeiros.

    Segundo o ministro da Justiça da Nigéria, quatro juízes trabalharão nos julgamentos e os réus terão representação legal.

    "É o primeiro julgamento significativo de suspeitos do Boko Haram", disse Matthew Page, um ex-analista do Departamento de Estado dos EUA e especialista em Nigéria.

    Page afirmou à agência de notícias de AFP que embora seja positiva a realização do julgamento, trata-se de um passo "muito pequeno" já que muitos dos detidos passaram anos sem acesso a um advogado ou um julgamento.

    Cerca de 20 mil pessoas já morreram nos conflitos entre Nigéria e Boko Haram.

    Mais:

    Boko Haram mata mais de 50 petroleiros em ataque na Nigéria
    Comando militar da Nigéria: 'Boko Haram perdeu a guerra'
    82 meninas sequestradas pelo Boko Haram são libertadas
    Operação multinacional liberta 5.000 prisioneiros do Boko Haram
    Tags:
    Boko Haram
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar