03:53 18 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Ataques contra as posições do Daesh perto de Deir ez-Zor

    Pentágono nega uso de bombas de fósforo pela coalizão na Síria

    © Sputnik / Mikhail Voskresensky
    Oriente Médio e África
    URL curta
    811

    O Pentágono chamou de "falsa" a informação sobre o uso de bombas de fósforo anti-Daesh pela coalizão liderada pelos Estados Unidos em Deir ez-Zor, na Síria.

    Na quarta-feira, a mídia estatal da Síria informou que aeronaves de coalizão lideradas pelos EUA realizaram ataques a um distrito civil da província de Deir ez-Zor, na Síria, usando munições de fósforo branco, matando três pessoas e deixando outros cinco feridos.

    De acordo com informações da televisão síria e a agência de notícias SANA, o ataque foi realizado em Al-Suwar, uma pequena localidade a leste da cidade de Deir ez-Zor.

    Em agosto, o governo sírio também culpou a coalizão por lançar bombas de fósforo em Raqqa.

    "A informação é falsa. Uma revisão dos registros de ataque da coalizão não indica corroboração com o tempo, a data, a localização e a munição do suposto incidente", disse o escritório de imprensa da Operação Inherente Resolve à Sputnik nesta quinta-feira.

    Em 4 de agosto, a coalizão informou que "pelo menos 624 civis foram mortos involuntariamente por ataques da coalizão desde o início da Operação Inherente Resolve" contra o Daesh no Iraque e na Síria em 2014.

    O Ministério de Relações Exteriores da Síria acusou várias vezes a coalizão de usar fósforo branco, proibido por convenção internacional, para destruir infraestrutura e matar civis.

    A mídia dos EUA informou, alguns dias antes, que a coalizão liderada pelos EUA no Iraque está usando munições de fósforo branco em sua luta contra o Daesh. O Washington Post fez um inquérito sobre uma imagem, publicada pelo Sistema de Distribuição de Vídeo e Imagens de Defesa militar dos Estados Unidos, que mostra as tropas da coalizão com projéteis de fósforo branco M825A1.

    O porta-voz da coalizão, o coronel John Dorrian, também confirmou o uso de fósforo branco ao jornal, afirmando que as munições são usadas para seleção, obscurecimento e marcação, acrescentando que o fósforo branco é "usado geralmente para as circunstâncias que eu descrevi".

    Recentemente, a Human Rights Watch (HRW) informou que a coalizão matou pelo menos 84 civis, incluindo 30 crianças, com dois ataques aéreos perto da cidade de Raqqa em março.

    As munições de fósforo branco, embora não sejam especificamente proibidas pelo direito internacional, são restritas ao uso em ataques indiscriminados contra civis pela Convenção das Nações Unidas de 1983 sobre certas armas convencionais. O fósforo branco inflama em contato com o oxigênio e causa queimaduras na pele profunda.

    Os Estados Unidos admitiram anteriormente usar o fósforo branco durante a guerra do Iraque em 2004, mas negaram que as armas fossem usadas contra civis. As munições também foram usadas pela OTAN no Afeganistão.

    Mais:

    Rompendo barreiras naturais: russos erguem ponte pelo Eufrates para libertar Deir ez-Zor
    EUA estão prontos para iniciar Terceira Guerra Mundial por Deir ez-Zor?
    Correspondente da Sputnik sofre bombardeio em Deir ez-Zor, na Síria
    Tags:
    armas químicas, bomba, fósforo, guerra síria, HRW, Pentágono, Deir ez-Zor, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar