11:07 14 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Destacamento iraniano na Síria

    Otimismo exagerado? Irã dá 'dois meses de vida' ao Daesh

    © Sputnik/ Mikhail Voskresenky
    Oriente Médio e África
    URL curta
    6330

    Não demorará mais do que três meses para que os terroristas do Daesh sejam expulsos do Oriente Médio. Quem acredita nisso é Qassem Soleimani, general sênior que chefia as Quds ou as Forças de Elite do Corpo do Gueto Revolucionário Islâmico do Irã.

    "Em menos de três meses, declararemos o fim do Daesh e do seu reino neste planeta, e vamos comemorar esta vitória no Irã e em toda a região", disse Soleimani, em declarações publicadas pela agência iraniana IRNA.

    O militar disse que o objetivo final da organização terrorista era a aniquilação do Irã, por isso Teerã não pode esperar para a destruição de Iraque e Síria para permitir que o Daesh começasse uma guerra contra o país persa, informou a agência Mehr.

    "Diplomacia é inútil"

    Soleimani explicou ainda que "quando a lógica do seu oponente é que matar é uma dádiva divina e, quanto mais você fizer isso, mais perto você está do paraíso, então os esforços diplomáticos não fazem sentido".

    "Quando o inimigo não vê a diferença entre soldados armados e civis indefesos, a única maneira de lidar com isso é a guerra", disse o general.

    Ele também disse que o Irã ainda está "desferindo seus golpes contra o corpo do Daesh" e prometeu que em breve "acabará com este tumor cancerígeno criado pelos Estados Unidos e Israel".

    Islam unido

    O grande general enfatizou que o conflito com o Daesh não é sectário. Segundo ele, "muitos pensavam que a guerra contra o Daesh se transformaria em uma guerra entre xiitas e sunitas", mas hoje há "mais amizade do que nunca" entre esses dois principais ramos do Islã.

    "É uma verdade inegável que, se não fosse pelos jovens xiitas no Irã e no Afeganistão, que se apressaram em defender as pessoas indefesas em Aleppo (Síria), a cidade teria sido massacrada pelo Daesh", disse Suleimani.

    Qasem Soleimani é o chefe do apoio militar do Irã ao Iraque e à Síria na luta contra os terroristas do Daesh à frente das forças de Quds.

    Quds é um grupo de elite secreto dos Guardas Revolucionários Iranianas que realiza missões de segurança importantes no exterior, incluindo espionagem, operações especiais e a atividade política que as autoridades consideram necessárias para proteger a República Islâmica do Irã.

    Mais:

    Nova guerra vem aí? Após teste, Trump questiona se existe acordo nuclear com o Irã
    Tensão no Oriente Médio: Israel diz que o teste de mísseis do Irã é uma 'provocação'
    Irã começa manobras de grande escala na fronteira com Curdistão iraquiano
    Tags:
    terrorismo, guerra, Corpo da Guarda Revolucionária Islâmica do Irã, Quds, IRNA, Daesh, Qassem Soleimani, Iraque, Síria, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik