04:52 19 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Novo míssil balístico do Irã Khoramshahr, 22 de setembro, 2017

    Teerã revela novo míssil balístico que pode carregar várias ogivas

    © AFP 2018 / STR
    Oriente Médio e África
    URL curta
    16132

    Teerã apresentou um novo míssil balístico capaz de carregar várias ogivas em uma distância de até 2 mil quilômetros, comunicou a Tasnim News na sexta (22), citando o comandante da Força Aeroespacial do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica do Irã, Amir Ali Hajizadeh.

    Os programas nuclear e de mísseis do Irã têm sido repetidamente criticados. 

    Exercícios de sistemas de mísseis Fateh, Irã (foto de arquivo)
    © AFP 2018 / ARASH KHAMOUSHI / ISNA NEWS AGENCY
    Em agosto, o ministro da Defesa do Irã declarou que o seu país não vai abandonar o programa de mísseis apesar da condenação internacional. Em setembro, os EUA aplicaram novas sanções contra o Irã por causa do seu programa nuclear e de "ataques cibernéticos".

    Teerã continua desenvolvendo e testando mísseis balísticos devido à sua preocupação quanto à segurança nacional, disse à Sputnik o ex-conselheiro do ministro das Relações Exteriores iraniano Sabah Zanganeh.

    Na quinta-feira (14), o presidente estadunidense Donald Trump afirmou que o Irã estava violando "o espírito" do acordo nuclear firmado em 2015, pelo qual recebeu alívio de sanções em troca do travamento do seu programa nuclear. O atual governo dos EUA não descarta romper o acordo.

    Trump deve tomar uma decisão até meados de outubro, a fim de se certificar que o Irã está cumprindo o acordo, conhecido como Plano Conjunto de Ação Conjunta (JCPOA, na sigla em inglês). Se ele não fizer isso, o Congresso tem 60 dias para decidir se deve reimpor sanções.

    Mais:

    Analistas: Trump ataca acordo nuclear porque busca uma guerra com o Irã
    Trump sobre acordo nuclear com Irã: 'Já decidi'
    Tags:
    teste, acordo nuclear, ogivas, capacidade militar, míssil, JCPOA, Irã, Teerã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik