15:09 13 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    0 50
    Nos siga no

    O presidente do Irã, Hassan Rouhani, declarou que o país deseja fortalecer suas capacidades balísticas, informa o canal de TV iraquiano, Press TV.

    De acordo o canal, Rouhani assinalou que "nenhum país é capaz de impedir que República Islâmica do Irã fortaleça suas capacidades de mísseis, tampouco o desenvolvimento de programas para segurança". Ele adicionou também que "o potencial da defesa do Irã nunca foi usado em atos de agressão".

    A República Islâmica do Irã e um grupo de seis países firmaram em 14 de julho de 2015 o acordo sobre o programa nuclear iraniano, o Plano de Ação Conjunto Global (sigla em inglês, JCPOA). De acordo com ele, foi decidido que todas as sanções do Conselho de Segurança da ONU, EUA e da União Europeia, introduzidas anteriormente, seriam canceladas. O acordo entrou em vigor no dia 16 de janeiro de 2016.

    O presidente norte-americano, Donald Trump não apoia o acordo firmado. Os EUA adicionaram à lista de sanções 18 entidades e pessoas jurídicas, ligadas ao programa nuclear do Irã. Teerã repudiou as ações de Washington, advertindo que iria impor sanções de resposta quanto aos representantes dos EUA e empresas norte-americanas. Depois, o presidente iraquiano, Hassan Rouhani, não excluiu a possibilidade de saída do seu país do acordo, caso os EUA continuem ampliando sanções. Além disso, o Parlamento do Irã aprovou a lei sobre alocação de US$ 520 milhões para desenvolvimento do seu próprio programa balístico como resposta às sanções dos EUA.

    Mais:

    Trump sobre acordo nuclear com Irã: 'Já decidi'
    Netanyahu ameaça Irã e sugere que Israel possa usar armas nucleares
    Rússia se diz 'preocupada' com posição de Trump que pode quebrar acordo nuclear com Irã
    Tags:
    arsenal, mísseis balísticos, programa nuclear iraniano, Hassan Rouhani, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar