05:00 19 Fevereiro 2018
Ouvir Rádio
    Encontro de Benjamin Netanyahu e Vladimir Putin, Sochi, 23 de agosto de 2017

    Netanyahu explica para que realizou um encontro 'repentino' com Putin

    © Sputnik/ Aleksei Nikolsky
    Oriente Médio e África
    URL curta
    38719

    Primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, declarou que seus contatos com o presidente Putin servem sempre os interesses e a segurança de ambos os países.

    O encontro foi realizado em 23 de agosto em Sochi.

    "Nos últimos anos costumo me encontrar com Vladimir Putin, em primeiro lugar, para garantir nossos interesses e segurança na nossa fronteira setentrional. Posso dizer que todas as negociações realizadas com ele, até hoje, serviram para beneficiar nossa segurança, nossos interesses, bem como, acredito eu, os interesses da Rússia", disse Netanyahu em entrevista a um canal televisivo israelense.

    Ele explicou que tomou a decisão de realizar um encontro "repentino" com Putin por causa das mudanças na situação da região. De acordo com o premiê israelense, os encontros regulares com o presidente russo têm sido realizados, não apenas para coordenar as ações na região, mas também para acompanhar a mudança no equilíbrio de forças regional.

    "Ultimamente a situação mudou. Existe uma grande probabilidade que o Daesh [grupo terrorista, proibido na Rússia] seja derrotado na Síria. Isso é bom. Mas é mau que o Irã esteja penetrando nas áreas de onde foge o Daesh", destacou Netanyahu.

    O premiê acusou mais uma vez o Irã de colocar em perigo não apenas a região, mas todo o mundo.

    "O Irã não esconde o fato que quer instalar lá [de onde foge o Daesh] seus militares, forças terrestres, aéreas e navais. Um dos objetivos do Irã é começar a guerra com Israel… Claro que é uma mudança. Uma mudança que ameaça Israel, a região e todo o mundo", acredita Netanyahu.

    Durante o encontro com Vladimir Putin em Sochi, Netanyahu também sublinhou que as ações do Irã na Síria ameaçam Israel, o Oriente Médio e todo o mundo.

    Mais:

    Irã quer mais cooperação com Rússia para impedir ingerência dos EUA na Síria
    Israel desenvolve novo sistema antimíssil perante possíveis ameaças do Irã
    'Com Irã não se brinca': uma mensagem clara a Israel, EUA e Arábia Saudita
    Tags:
    relações bilaterais, Daesh, Vladimir Putin, Benjamin Netanyahu, Síria, Rússia, Irã, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik