17:11 23 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    290
    Nos siga no

    Os militares afegãos são capazes de lutar contra o grupo terrorista Estado Islâmico (proibido na Rússia e em vários outros países) e o movimento radical Talibã sem a ajuda dos militares americanos, afirmou o embaixador do Afeganistão em Moscou, Abdul Qayyum Kochai, em uma entrevista à Sputnik.

    "Queríamos que as tropas americanas e os contingentes dos outros países ocidentais que têm relações estreitas connosco abandonassem o Afeganistão fazia tempo. As nossas tropas são muito fortes agora. Os nossos soldados vêm combatendo o Talibã e o Daesh agora. Somos capazes de fazê-lo", assegurou Kochai, ao comentar a nova estratégia dos EUA no Afeganistão.

    Anteriormente, o presidente dos EUA, Donald Trump, havia afirmado que os poderes dos militares americanos no Afeganistão seriam aumentados com vista a combater o terrorismo nesse país. Além disso, os EUA vão deixar de tornar público o número de suas tropas, bem como seus planos em geral, acrescentou o líder norte-americano.

    Ainda de acordo com Trump, as consequências da possível retirada rápida das forças americanas do Afeganistão são inaceitáveis. Com relação à solução da crise interna no país, são as autoridades e o povo locais, e não os EUA, que devem desempenhar o papel fundamental na restauração da paz, resumiu Trump.

    Mais:

    Descubra a 'Kim Kardashian' do Afeganistão (FOTOS)
    Nova estratégia dos EUA para o Afeganistão significa liberdade total das tropas?
    Força Aérea dos EUA pode intensificar operações no Afeganistão após decisão de Trump
    Tags:
    ajuda militar, Talibã, Daesh, Donald Trump, Afeganistão, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar