03:28 22 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    As consequências de ataques aéreos no Iêmen

    Coalizão liderada pela Arábia Saudita bombardeia hotel no Iêmen; UE condena ato

    © Sputnik/ Stringer
    Oriente Médio e África
    URL curta
    450706

    Um bombardeio da coalização liderada pela Arábia Saudita no Iêmen deixou ao menos 35 mortos perto da capital Sanaa - que está sob controle dos rebeldes Houthi.

    A informação é de uma estação de televisão controlada pelos próprios rebeldes e foi obtida pela Al-Jazeera.

    "Provavelmente é o maior massacre da coalização saudita que o Iêmen testemunhou", afirmou o jornalista Al Masmari em entrevista à Al-Jazeera.

    Há imagens no Twitter do incidente:

    A União Europeia condenou o bombardeio e pediu que a "legislação internacional humanitária" seja respeitada.

    O Iêmen está em guerra civil desde 2015. Enquanto a Arábia Saudita — aliada de longa data dos Estados Unidos — faz parte de uma coalização internacional com outros países árabes para apoiar o presidente Abd Rabbuh Mansur Al-Hadi, o Irã apoia os rebeldes Houthi.

    Segundo as Nações Unidas, mais de 10 mil pessoas já morreram no conflito e 3 milhões de pessoas tiveram que deixar suas casas. 

    Mais:

    Rússia voltará ao Iêmen pela porta da frente?
    Irã, Iêmen e armas: em busca da verdade
    Exército do Iêmen derrubou aeronave e 15 helicópteros da coalizão saudita
    OMS: mais de mil pessoas morreram de cólera no Iêmen desde o final de abril
    Míssil de milicianos do Iêmen atinge marinha dos Emirados Árabes (VÍDEO)
    Surto de cólera no Iêmen: mais de 900 mortes desde o final de abril
    Base militar do Iêmen sofre ataque supostamente da Al-Qaeda
    Tags:
    ONU
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik