16:08 21 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Mulheres yazidis curdas durante manifestação contra o Daesh, Iraque, 3 de agosto de 2015

    ONU exorta governo iraquiano a apoiar ex-escravas sexuais do Daesh

    © AP Photo / Seivan M.Salim
    Oriente Médio e África
    URL curta
    520
    Nos siga no

    O governo do Iraque é responsável por providenciar cuidados, proteção e justiça às sobreviventes de escravidão sexual por parte de militantes do grupo terrorista Daesh, segundo afirmou a Organização das Nações Unidas.

    Em um relatório divulgado nesta terça-feira, que descreve como mulheres da comunidade yazidi e de outras minorias são estupradas, escravizadas e forçadas a se casar e mudar de religião, a ONU acusa o sistema de justiça iraquiano de não proteger adequadamente as vítimas desse tipo de abuso, incluindo as crianças produzidas sob essas condições. 

    "Os danos físicos, mentais e emocionais infligidos pelo ISIL (Daesh) estão quase além da compreensão", afirmou o Alto Comissário das Nações Unidas para Direitos Humanos, Zeid Ra'ad Al Hussein, acrescentando que tanto essas mulheres como seus filhos precisam urgentemente de justiça e reparação. 

    O relatório recomenda que Bagdá crie programas de apoio às vítimas, fornecendo informações e serviços de aconselhamento, inclusive para a reunião de famílias separadas e registro das crianças nascidas em cativeiro. 

    Mais:

    'Daesh matou 80 anciãs porque não serviam como escravas sexuais'
    Embaixador: Iraque estará completamente livre do Daesh em dois meses
    Tags:
    abuso, escravidão, escrava sexual, yazidis, Yazidi, ONU, Daesh, Zeid Ra'ad Al Hussein, Bagdá, Iraque
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar