17:28 23 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Tanques do exército sírio em Aleppo

    Província síria de Aleppo está completamente liberta do Daesh

    © AFP 2019 / George OURFALIAN
    Oriente Médio e África
    URL curta
    1140

    A província síria de Aleppo foi completamente limpa dos terroristas do Daesh, declarou o chefe operacional do Estado-Maior General da Rússia, Sergei Rudskoi.

    No último mês, mudanças fundamentais tiveram lugar na República Árabe da Síria. As tropas governamentais, apoiadas pela Força Aeroespacial da Rússia, alcançaram êxitos significativos e causaram danos sérios às forças do grupo Daesh [organização terrorista proibida na Rússia] na parte central da Síria. A província de Aleppo foi completamente libertada dos terroristas.

    Conforme o chefe operacional do Estado-Maior General da Rússia, na área da cidade de Akerbat as tropas sírias conseguiram cercar um grande grupo de terroristas, em breve essa cidade será libertada.

    Segundo as palavras dele, no total, 50 povoações e mais de 2,7 mil quilômetros quadrados de território sírio foram libertados dos jihadistas.

    De acordo com os seus dados, "é aqui que estão sendo concentrados os combatentes de Mossul e a maior parte dos destacamentos do Daesh de Raqqa, que já por três meses não consegue ser libertada pelas chamadas Forças Democráticas Sírias apoiadas pelos EUA e seus aliados".

    Sergei Rudskoi sublinhou que a maior parte das forças do Daesh será eliminada quando a cidade síria de Deir ez-Zor for desbloqueada.

    Mais:

    Exército libanês realiza grande ofensiva contra terroristas perto da fronteira síria
    Ataque aéreo russo matou mais de 200 terroristas e destruiu comboio do Daesh na Síria
    Exército libanês destrói várias instalações do Daesh na fronteira com a Síria
    Assad anuncia 'fracasso do plano ocidental' na Síria e agradece à Rússia
    Tags:
    apoio, tropas, ataques, cidade, libertação, terroristas, Exército Sírio, Força Aeroespacial da Rússia, Sergei Rudskoi, EUA, Mossul, Aleppo, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar