01:02 21 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Manifestação de apoio da presença do grupo aéreo russo na cidade síria de Tartus

    Político libanês: posição de Putin sobre Oriente Médio salvou milhões de pessoas

    © Sputnik/ Dmitry Vinogradov
    Oriente Médio e África
    URL curta
    2920160

    O ex-ministro libanês e líder do Partido Unitário Árabe, que está em Moscou, Wiam al Wahab, disse que é preciso lutar contra o terrorismo em conjunto, pois, sem a ajuda da Rússia, esse mal já teria eliminado o Oriente Médio.

    "A intervenção da Rússia contribuiu muito para defesa da diversidade fragilizada, tanto religiosa como nacional, que existe na nossa região. Foi a Rússia que retirou a nossa região do terrorismo", explicou ele à Sputnik Árabe. Segundo o político, a decisão do presidente da Rússia de intervir na região salvou milhares de vidas na região, entrando para a história mundial como o defensor da liberdade.

    De acordo com o político, sem a intervenção russa no conflito "Washington teria continuado a apoiar o Daesh, a Al-Qaeda e outras organizações desse tipo por mais 50 anos, e, essas organizações, seriam usadas para lutar contra todos os povos e Estados da nossa região", explicou Wiam al Wahab.

    Ele acrescentou que "há uma diferença evidente entre as políticas externas da Rússia e dos EUA, não estou falando apenas sobre o Oriente Médio, mas também sobre a situação em geral. A Rússia se posiciona como país aliado para todos os povos do mundo, enquanto os EUA querem dominar todos".

    Para pressionar todos os países, incluindo a Rússia, os Estados Unidos usam o dólar e o Conselho de Segurança das Nações Unidas, que sempre justifica suas ações ilegais. No âmbito do Conselho de Segurança da ONU, a Rússia usa o poder de veto, já para combater o dólar, ela está desenvolvendo o BRICS ativamente, sublinhou. 

    O ex-ministro libanês afirmou que as relações russo-libanesas têm grande potencial para desenvolvimento. "A Rússia chegou à nossa região. Acho que ficará na Síria por muito tempo" e por isso o Líbano tem de dar mais atenção à cooperação com a Rússia, explica o político. 

    Em Moscou, Wiam al Wahab espera discutir com as autoridades russas a situação não só no Líbano mas também na Síria, porque a estabilidade nos países vizinhos garante estabilidade no Líbano. Todos os países da região são interligados e dependem uns dos outros.

    Mais:

    'Contra influência maligna iraniana', Trump e Macron discutem aumentar cooperação na Síria
    Defesa antissabotagem é instalada na base da Marinha russa em Tartus na Síria
    Tensão no Oriente Médio pode provocar uma guerra entre Arábia Saudita e Irã
    Artilharia russa prepara 'big boom' para veículos de jihadistas no Oriente Médio
    Tags:
    defesa, relações bilaterais, terrorismo islâmico, Daesh, Vladimir Putin, EUA, Rússia, Oriente Médio, Líbano
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik