03:42 21 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Consequências de ataque aéreo na província de Raqqa (Arquivo)

    Síria: coalizão viola direito internacional ao atacar civis em Raqqa com bombas de fósforo

    © REUTERS/ Rodi Said
    Oriente Médio e África
    URL curta
    1386371

    O ministério das Relações Exteriores da Síria enviou notas ao secretário-geral da ONU e ao Conselho de Segurança das Nações Unidas, classificando os ataques aéreos da coalizão liderada pelos EUA em Raqqa de patente violação do direito internacional.

    Neste sábado, a agência de notícias síria SANA informou, citando o chefe local do Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, que a coalizão atacou um hospital em Raqqa com bombas de fósforo. 

    "Ataques aéreos sistemáticos contra bairros residenciais e construções civis, a destruição do hospital estatal de Raqqa e o uso de fósforo branco proibido pelas aeronaves da 'coalizão internacional' são uma violação patente do direito internacional e é mais um dos crimes de 'coalizão' contra pessoas inocentes nas províncias e nas cidades da Síria", afirma o documento, cuja cópia foi divulgada pela imprensa local.

    O documento também exigiu uma posição imediata da ONU sobre as atividades da coalizão liderada pelos EUA, que atua no país sem a autorização de Damasco e violando as resoluções das Nações Unidas.

    "[O ministério das Relações Exteriores da Síria] também exige que o Conselho de Segurança da ONU cumpra as suas atribuições de manutenção da paz e da segurança e exige que todos os países cumpram as resoluções do Conselho de Segurança sobre o combate ao terrorismo", escreveu a chancelaria síria.  

    Segundo a imprensa oficial síria, pelo menos 50 civis morreram na última semana em ataques aéreos da coalizão internacional liderada pelos EUA.

    A coalizão liderada pelos EUA já declarou que usa bombas de fósforo na Síria, mas respeitando as normas internacionais e adotando medidas para prevenir que estas afetem os civis. A organização Human Rights Watch, por outro lado, manifestou reiteradas críticas ao uso de bombas de fósforo no país.

    Mais:

    Coalizão internacional reconhece que matou 624 civis durante operações na Síria e Iraque
    Bombardeio da coalizão internacional em Raqqa vitima pelo menos 7 crianças
    Síria pressiona ONU por morte de civis em ataque da coalizão liderada pelos EUA
    Ataque aéreo da coalizão internacional faz várias vítimas em hospital sírio
    Ataques da coalizão liderada pelos EUA matam pelo menos 10 civis na Síria
    Tags:
    abusos contra civis, fósforo branco, civis, coalizão internacional, ONU, Ministério das Relações Exteriores da Síria, Raqqa, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik