03:33 21 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Benjamin Netanyahu

    Quanto tempo pode demorar o processo contra Netanyahu?

    © Sputnik/ Sergei Guneev
    Oriente Médio e África
    URL curta
    247331

    Vários ministros e deputados israelenses expressaram seu apoio ao chefe do Governo, Benjamin Netanyahu, em meio às investigações da polícia por três casos de suposta corrupção.

    A situação de Netanyahu se complicou em 4 de agosto quando ex-chefe de pessoal do primeiro-ministro, Ari Harrow, firmou um acordo com a polícia para se tornar testemunha oficial.

    Aparentemente, Ari Harrow conhece detalhes significativos de pelo menos dois casos que a polícia está investigando: o recebimento por parte de Netanyahu de presentes caros e as relações do último com o proprietário do periódico Yediot Ahronot, Arnon Mozes.

    O ministro Tzachi Hanegbi, encarregado da segurança nacional, disse à rádio do exército que um potencial processamento de Netanyahu demoraria ao menos três ou quatro anos a ser concretizado.

    Por sua vez, a ministra da Justiça, Ayelet Shaked, insistiu em que Netanyahu não deve se demitir caso seja acusado, afirmando que o processamento pode ser muito longo.

    Na noite de 5 de agosto, foram registradas duas manifestações em frente à casa do procurador-geral, Avichai Mandelblit.

    De uma das manifestações participaram cerca de duas mil pessoas exigindo o processamento de Netanyahu, enquanto o outro ato no mesmo lugar reuniu 150 pessoas que se manifestaram a favor do premiê israelense.

    Segundo a polícia, Netanyahu está sendo investigado por fraude, suborno e abuso de confiança.

    Benjamin acredita ser alvo de uma campanha destinada a acabar com seu governo de maneira não democrática, afirmando que não pensa se demitir por não ter cometido nenhuma irregularidade.

    Mais:

    Israel não planeja devolver Colinas de Golã à Síria
    Crítico de Israel, aiatolá do Irã diz em SP que EUA 'patrocinam o Daesh' e defende Assad
    Tags:
    processo judicial, acusações, manifestações, corrupção, Benjamin Netanyahu, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik