12:06 20 Junho 2018
Ouvir Rádio
    Primeiro-ministro do Paquistão Nawaz Sharif

    'Ele já não tem o direito de ser um deputado honesto'

    © East News / AP Photo/Justin Tallis, Pool
    Oriente Médio e África
    URL curta
    120

    O Supremo Tribunal do Paquistão decretou a demissão do primeiro-ministro do país, Nawaz Sharif, depois de terem sido divulgados os resultados de uma investigação anticorrupção contra ele e sua família, comunica a agência Geo TV. O premiê já abandonou o cargo.

    Em abril de 2016, foram publicados os documentos da empresa jurídica Mossack Fonseca, do Panamá, revelando que dois filhos e uma filha do primeiro-ministro do Paquistão, Nawaz Sharif, possuíram pelo menos três empresas em um paraíso fiscal (Ilhas Virgens Britânicas). Em abril uma comissão de cinco juízes do Supremo Tribunal votou a favor da criação de uma comissão especial para continuar a investigação do caso. Na semana passada três juízes analisaram o relatório em dez volumes, atribuindo a decisão final à comissão de cinco juízes.

    A decisão de demitir Sharif foi tomado por unanimidade. O juiz decretou iniciar um processo penal contra o premiê.

    O Supremo Tribunal encaminhou as matérias recolhidas à corte, onde devem ser abertos processos não apenas contra Sharif, mas também, contra a filha Mariam e os filhos Hassan e Hussein. Explicando a decisão de exonerar o premiê, a comissão de juízes afirmou que ele foi "desonesto" para com o Tribunal e o parlamento. 

    "Ele já não tem o direito de ser um deputado honesto e abandona o cargo de primeiro-ministro", afirmou o juiz Eiaz Afzal Khan, anunciando a decisão.

    Mais:

    Forças do Paquistão lançam operação contraterrorista em zonas tribais
    Explosão deixa quatro mortos no Paquistão
    Crianças morrem após confundirem bomba com brinquedo no Paquistão
    Tags:
    paraíso fiscal, escândalo, corrupção, Supremo Tribunal, Nawaz Sharif, Paquistão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik