08:21 15 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu

    'Continua incitando violência': Netanyahu promete fechar Al-Jazeera em Israel

    © AFP 2017/ SEBASTIAN SCHEINER
    Oriente Médio e África
    URL curta
    1766

    O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, comprometeu-se a fechar todos os escritórios da emissora Al-Jazeera em Israel.

    Netanyahu acusou a emissora qatariana de incitar violência durante os recentes incidentes e protestos, envolvendo a Esplanada das Mesquitas em Jerusalém.

    Al-Jazeera "continua incitando violência sobre o Monte do Templo", escreveu Netanyahu no Facebook.

    "Várias vezes pedi para as agências que aplicam a lei para fechar o escritório da Al-Jazeera em Jerusalém. Se isso não for possível por questões legais, trabalharei para criar nova legislação [no Knesset, parlamento israelense] para expulsar a Al-Jazeera de Israel", disse o primeiro-ministro.

    Anteriormente, a Al-Jazeera transmitiu imagens da polícia israelense espancando um palestino que estava rezando em uma das ruas de Jerusalém.

    Desde o inicio de junho, quatro países da região, a Arábia Saudita, os Emirados Árabes Unidos (EAU), Bahrein e o Egito, estão bloqueando o Qatar, exigindo, entre outras coisas, o encerramento da emissora Al-Jazeera.

    Esses quatro países consideram que a emissora Al-Jazeera, que tem sede em Doha, capital do Qatar, incita violência e o terrorismo no Oriente Médio.

    Mais:

    'Faremos o que for necessário para manter a segurança', diz embaixador de Israel na ONU
    Guerra à vista? Liga Árabe diz que Israel 'brinca com fogo' em Jerusalém
    Tags:
    violência, protestos, boicote, terrorismo, Al-Jazeera, Knesset, Benjamin Netanyahu, Jerusalem, Qatar, Egito, Arábia Saudita, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik