11:00 07 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Parada militar anual em Teerã

    Rouhani: Irã 'fortalecerá as capacidades defensivas' em resposta às sanções dos EUA

    © AFP 2019 / ATTA KENARE
    Oriente Médio e África
    URL curta
    13150
    Nos siga no

    O Irã está acostumado a viver sob as sanções dos EUA e continuará a desenvolver as suas capacidades de defesa em resposta às novas restrições, aprovadas pelos legisladores de Washington, declarou o presidente iraniano, Hassan Rouhani, nesta quarta-feira.

    "Adotaremos as medidas que julgarmos necessárias, conforme os interesses do nosso país, e seguiremos o nosso caminho sem dar atenção às sanções e às políticas [americanas]", disse Rouhani, amplamente citado pela TV e imprensa do Irã.

    Rouhani acrescentou que o Irã continuará o seu desenvolvimento militar, apesar da pressões estrangeiras.

    "Devemos sempre fortalecer a nossa defesa e melhorar todas as nossas armas defensivas, sem depender das opiniões dos outros", disse o presidente, citado pela agência de notícias Fars.

    Nesta terça-feira, a Câmara dos Representantes dos EUA aprovou, por uma esmagadora maioria, um novo pacote de sanções contra a Corea do Norte, o Irã e a Rússia. O novo projeto de lei, além da sanções propriamente ditas, reduz o poder do presidente dos Estados Unidos para levantar os embargos já impostos.

    O novo pacote da sanções ainda seguirá para o Senado, antes de ser sancionado, ou não, pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que vem manifestando sinais contraditórios sobre o projeto de lei apoiado pelo Congresso. Se o projeto de lei, entretanto, for aprovado por uma ampla maioria no Senado, Trump ficará impedido de vetar o documento.

    Mais:

    Senador russo apela a dar uma resposta 'danosa' às sanções de Washington
    Alemanha está preocupada com novas sanções dos EUA contra a Rússia
    'Sanções são a manifestação das pretensões imperialistas dos EUA'
    Tags:
    defesa, sanções, Hassan Rouhani, EUA, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar