12:46 21 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    5350
    Nos siga no

    Os operadores de artilharia russos aprendem atualmente a destruir os veículos fora de estrada dos terroristas utilizados ativamente no Oriente Médio.

    O programa de formação inclui exercícios especiais para os operadores de obuses e morteiros, com base na experiência obtida nas operações militares na Síria. Os operadores de artilharia aprendem a lançar uma barreira de fogo no trajeto dos veículos inimigos para não permitir que estes alcancem as tropas terrestres.  

    O Estado-Maior das forças terrestres precisa que o novo sistema de combate contra os veículos todo-o-terreno está sendo testado pelos operadores de artilharia da 15ª e 30ª brigadas do Distrito Militar Central da Rússia. 

    Eventualmente o sistema poderá ser incorporado no treinamento militar de outras unidades de artilharia, bem como da infantaria naval e aérea. 

    Cada batalhão russo de infantaria motorizada, aerotransportada e de assalto possui uma bateria de morteiros de 82 mm ou de 120 mm. Os regimentos e as brigadas também possuem uma ou duas divisões de artilharia com morteiros de 122 mm ou 152 mm.

    O princípio de combate contra estes veículos de tipo pick-up é simples. O veículos são habitualmente equipados com metralhadoras, canhões sem recuo e mísseis antitanque, passam a grande velocidade e são manobráveis. Em condições de combate de proximidade, os terroristas podem sem problemas destruir os tanques e os blindados de infantaria usando estes veículos. 

    Por isso é essencial não permitir que o inimigo chegue perto das tropas. A barreira de fogo é organizada ao longo do trajeto das colunas dos terroristas. Como as pick-ups não são blindadas, não conseguem passar em estradas atingidas por explosões e estilhaços.

    "Para os militares russos, a questão de combater as pick-us é atual, porque estes veículos de combate improvisados são ativamente utilizados na Síria, e tais ameaças podem surgir no território do OTSC", notou o analista russo Vladislav Shurigin. 

    De acordo com o analista militar independente Anton Lavrov a experiência de conflitos militares contemporâneos mostra que a luta contra as pick-ups armadas é difícil.

    "As pick-ups armadas evitam rapidamente os tiros dos tanques e entram em combate de proximidade. Em Iraque, os veículos do Daesh (organização terrorista proibida na Rússia) causaram perdas sérias aos militares iraquianos, que utilizavam os tanques norte-americanos Abrams M-1. Estima-se que os meios mais eficientes de combate às pick-ups dos terroristas são os helicópteros Mi-35M, Mi-28, Ka-52 e Ah-64 Apache. Mas cada decolagem destes aparelhos é cara e eles nem sempre chegam a hora ao terreno de operações", afirmou Lavrov. 

    De acordo com ele, a nova tática dos operadores de artilharia russos é o modo mais eficiente e barato de luta contra os veículos dos terroristas. A barreira de fogo não permite que os veículos inimigos entrem em combate de proximidade, enquanto os veículos militares podem eliminá-los sem problemas. 

    Mais:

    Analista sobre lançamento de mísseis russos na Síria: ações da Rússia são choque para OTAN
    Rússia e Turquia seguirão cooperando em zonas de segurança na Síria
    Tags:
    infantaria, exercício, morteiros, artilharia, terroristas, experiência, ataque, Daesh, Oriente Médio, Iraque, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar