01:36 17 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Militares do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica (CGRI) marcham durante uma parada militar em homenagem à Guerra Irã-Iraque, de 1980-1988

    Ex-inimigos, Irã e Iraque assinam acordo por maior cooperação militar

    © REUTERS / MORTEZA NIKOUBAZL
    Oriente Médio e África
    URL curta
    5130
    Nos siga no

    Os governos do Irã e do Iraque assinaram neste domingo um acordo para o aumento da cooperação militar entre os dois países, em prol do combate ao “terrorismo e extremismo”, informou a imprensa iraniana.

    O anúncio acontece um dia após Teerã lançar uma nova linha de mísseis e deve ser visto com ressalvas e preocupação pelos Estados Unidos.

    De acordo com a agência estatal iraniana IRNA, o memorando foi assinado pelos ministros da Defesa dos dois países, o iraniano Hossein Dehghan e o iraquiano Erfan al-Hiyali. O acordo prevê ainda cooperação fronteiriça, de logística e de treinamentos militares.

    “A extensão da cooperação e do intercâmbio de experiências na luta contra o terrorismo e o extremismo, a segurança nas fronteiras e o apoio educacional, logístico, técnico e militar estão entre as disposições deste memorando”, informou a agência IRNA após a assinatura do acordo em Teerã.

    Os laços entre Irã e Iraque melhoraram desde que o inimigo do Irã, Saddam Hussein (protagonista no conflito entre os dois países, entre 1980 e 1988), foi derrubado em 2003 e um governo iraquiano liderado por muçulmanos xiitas chegou ao poder. O Irã é principalmente uma nação xiita.

    O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, expressou sua preocupação com o que ele vê como uma crescente influência iraniana em conflitos na Síria, no Iêmen e no Iraque, onde está alinhado com os lutadores xiitas.

    As tensões entre o Irã e os Estados Unidos aumentaram desde a eleição de Trump, que muitas vezes acusou Teerã de apoiar grupos militantes e desestabilizar a região.

    No início deste mês, Trump disse que novas ameaças emergiam de “regimes desonestos como a Coreia do Norte, Irã e Síria e os governos que os financiam e apoiam”.

    O exército dos EUA acusou ainda o Irã de financiar a violência no Iraque, treinando e equipando milícias. O Irã negou as acusações, culpando a presença de tropas dos EUA pela violência.

    Mais:

    Moscou critica novas sanções americanas contra a Rússia, Irã e Coreia do Norte
    Trump dá ultimato no Irã e avisa sobre 'sérias consequências'
    Rússia: novas sanções dos EUA contra Irã são infundadas
    Tags:
    terrorismo, cooperação bilateral, iraquianos, iranianos, IRNA, Erfan al-Hiyali, Hossein Dehghan, Donald Trump, Saddam Hussein, Oriente Médio, Iraque, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar