02:09 20 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    Exercícios de sistemas de mísseis Fateh, Irã, 2012 (foto de arquivo)

    Irã vs. Israel: conflito armado à vista no estrangeiro?

    © AFP 2017/ ARASH KHAMOUSHI / ISNA NEWS AGENCY
    Oriente Médio e África
    URL curta
    3610124266

    Irã está reforçando fábricas de mísseis no Líbano contra o exército israelense. A fábrica planejada será construída 50 metros debaixo de terra e protegida dos ataques aéreos de Israel, informa a oposição síria.

    Planeja-se que serão construídas duas instalações, uma ficará no leste do vale de Beqaa, onde serão produzidos mísseis iranianos modernos Fateh-110, tipo terra-terra, capazes de atingir alvos à distância de 300 km e transportar ogivas de 400 kg. A outra parte da fábrica será construída entre as cidades de Tyre e Sidon e lá serão produzidos componentes para mísseis.

    Este assunto preocupou muito Israel, o jornal israelense Yediot Ahronot publicou uma intervenção, citando o ministro da Educação de Israel, onde se declara que Israel está sabendo dos planos do Irã e considera a possibilidade de realizar um ataque preventivo, pois essas fábricas são uma ameaça.

    A Sputnik Persa falou com o analista experiente Emad Abshenass, editor-chefe do jornal Iran Press, e soube dos possíveis cenários da situação.

    O analista declarou que este assunto não é uma novidade, porque já em março deste ano um jornal do Kuwait falou disso. No entanto, o ministro da Defesa iraniano, Hossein Dehghan, descartou essas informações e disse que não é o Irã que constrói estas fabricas, mas o grupo libanês Hezbollah, que apenas satisfaz suas necessidades de armamentos e defesa para resistir às ameaças externas. E ninguém pode comentar ou discutir um assunto interno do Líbano, inclusive Israel.

    "Devemos sublinhar: se Israel na realidade pudesse atacar essas fábricas, ele não discutiria isso, mas já o teria feito. Todas as declarações de Israel são apenas conversa, pois ele não pode atacar estas fábricas. Se atacar, vai receber uma resposta duríssima do Líbano e o Irã, como aliado do Hezbollah, não ficará de braços cruzados. Mas acredito que Israel não vai arriscar", disse Emad Abshenas.

    Exército iraniano, foto de arquivo
    © AP Photo/ Vahid Salemi
    Outro tema que faz Israel se preocupar é o corredor para transportar armas de Beirute para Damasco. As autoridades israelenses declaram que nunca permitirão isso.

    "É que o corredor em questão existe há muito tempo e atinge as fronteiras da Palestina ocupada. No norte, quando os soldados israelenses acordam pela manhã, eles veem logo na fronteira retratos de Ruhollah Khomeini [líder supremo do Irã nos anos 1979-1989]. Isso revela a presença do Irã nestes territórios", afirmou o analista.

    Ele explicou que este corredor foi criado pelos "corações" dos correligionários da Síria, Irã, Iraque e Líbano, e não pode ser destruído por Israel. Os esforços do Irã e sua ajuda à Síria na luta antiterrorista acabou com planos de Israel e EUA para a divisão do Iraque e da Síria, por isso Israel busca pretextos para justificar seus ataques contra posições sírias.

    Mais:

    'Com Irã não se brinca': uma mensagem clara a Israel, EUA e Arábia Saudita
    Plano contra Teerã: Como Israel pretende conter o Irã
    Israel propõe aliança com EUA e Reino Unido contra 'agressão extraordinária' do Irã
    Tags:
    tensão militar, ataque preventivo, Iraque, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik