01:13 30 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    221
    Nos siga no

    Rússia e China estão preocupadas com o crescimento das organizações terroristas e extremistas no Afeganistão, bem como com o fortalecimento do braço afegão do Daesh, segundo o comunicado final conjunto, divulgado após a reunião dos líderes russo e chinês em Moscou.

    "As partes dedicam grande atenção à situação na república islâmica do Afeganistão, e consideram que os problemas como terrorismo, extremismo, drogas e refugiados criam uma ameça à segurança e à estabilidade no país e na região", informa o comunicado.

    "As partes manifestam preocupação com o crescimento e maior atividade das organizações terroristas e extremistas no território do Afeganistão e, em primeiro lugar, com o aumento da influência do 'braço' afegão da organização terrorista internacional Daesh", alerta o texto do documento.

    Os dois líderes expressaram a esperança de que o governo do Afeganistão e seus parceiros internacionais ampliem as atividades, voltadas para o desenvolvimento da situação social e econômica do país, de modo a garantir mais segurança. Rússia e China, segundo eles, estão prontas para ajudar no treinamento das forças de segurança afegãs e no desenvolvimento do país. 

    "As partes manifestam seu apoio à ideia de retomar os trabalhos do grupo de contato 'Organização para Cooperação de Xangai — Afeganistão', que pode desempenhar um papel construtivo no processo de paz no país", conclui o documento.

    Mais:

    Chanceleres da Rússia e da China querem debater Coreia, Oriente Médio e Afeganistão
    Paquistão reconhece o protagonismo da Rússia no processo de paz no Afeganistão
    Rússia espera nunca mais precisar usar força militar no Afeganistão
    'OTAN agrava situação ao não cooperar com a Rússia no Afeganistão'
    Tags:
    terrorismo, Daesh, Xi Jinping, Vladimir Putin, Afeganistão, China, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar