17:10 20 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Militantes do Exército Livre da Síria carregam mísseis TOW em Deraa, em 30 de setembro de 2015

    Mísseis TOW na Síria são evidência clara de fornecimentos americanos a terroristas

    © REUTERS/ Alaa Al-Faqir
    Oriente Médio e África
    URL curta
    212136222

    Os fragmentos de um míssil antitanque TOW, de produção americana, achados pelos funcionários do Centro para Reconciliação na Síria nos arredores orientais de Damasco, provam o fornecimento de armas aos agrupamentos terroristas, inclusive à Frente al-Nusra, pelos Estados ocidentais, afirmou o político Sleiman Khalil à Sputnik.

    No sábado passado (1), uma fonte diplomática bem informada afirmou à Sputnik que a parte russa recolheu provas irrefutáveis de que os terroristas tinham usado armas e munições de fabricação ocidental em Damasco, bem como registraram neste sábado 48 ataques de morteiro contra o bairro de Al-Qabas nos arredores orientais de Damasco.

    "Os fragmentos de munições, que têm números de série, achados no bairro de Al-Qabbas, confirmam que os terroristas possuem mísseis antitanque de produção americana TOW. Após realizar uma investigação, há a possibilidade de determinar as vias de fornecimento de armas pesadas aos terroristas, o que, em princípio, pode ser uma prova irrefutável da cooperação entre os terroristas e os militares americanos", afirmou à Sputnik o membro do Departamento Político do Partido Social Nacionalista sírio, Sleiman Khalil.

    Mais cedo, uma fonte informada afirmou à Sputnik que no território onde foi usado o armamento pesado de produção americana as ações militares são travadas pelo agrupamento radical Faylaq al-Rahman, que é um aliado direto da Frente al-Nusra, atual Frente Fatah al-Sham.

    "No bairro de Ein Tarma não combatem nenhuns destacamentos do chamado Exército Livre da Síria e de outros 'opositores moderados'. Ou seja, os armamentos que ficaram nas mãos de terroristas são exatamente os fornecidos pelos EUA à chamada ‘oposição moderada'", adiantou a fonte.

    Sleiman Khalil acrescentou que a mídia já tinha falado várias vezes sobre os fornecimentos diretos e indiretos aos terroristas pelos países ocidentais, inclusive pelos EUA, porém, os fragmentos achados por especialistas russos em 1 de julho podem se revelar evidências materiais destas suposições.

    Este caso de uso de mísseis TOW pelos terroristas não é o primeiro. Em novembro de 2015, um míssil antitanque foi lançado contra um carro que transportava jornalistas russos a 10 km da fronteira turca na Latakia do Norte, deixando, felizmente, apenas vários feridos. Já no verão de 2016, os terroristas atacaram um ônibus com jornalistas sírios nos arredores de Aleppo.

    Sabe-se que os militantes da Frente al-Nusra usaram mísseis TOW e morteiros de padrão OTAN em quase todos os combates-chave durante a operação do exército sírio na cidade de Aleppo e em suas cercanias.

    Mais:

    'Washington pode tomar medidas sem precedentes na Síria'
    'Washington espera apenas um pretexto para atacar a Síria'
    'Rússia é mais sincera e coerente na Síria do que EUA'
    Tags:
    armas, mísseis antitanque, TOW, Exército Livre da Síria, Rússia, EUA, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik