14:09 12 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    O trem de carga SGR chega de Mombasa a Nairóbi em 30 de maio de 2017. A ferrovia foi inaugurada pelo presidente queniano Uhuru Kenyatta e foi construída com investimentos chineses

    Ponte de construção chinesa cai no Quênia 2 semanas após inspeção do presidente

    © AP Photo/ Khalil Senosi
    Oriente Médio e África
    URL curta
    2541

    No oeste do Quênia, caiu uma ponte de 10 milhões de dólares (R$ 32,8 milhões), construída pela China e encomendada pelo próprio presidente do país, Uhuru Kenyatta, informa o site Quartz.

    Pelo menos 27 trabalhadores ficaram feridos na tragédia da ponte, que caiu na segunda-feira (26). O governo suspendeu a construção, enviando ao lugar um grupo de engenheiros.  

    Segundo o Quartz, o incidente ocorreu menos de duas semanas após o presidente Kenyatta ter visitado o lugar. Kenyatta, além de planejar se recandidatar à presidência, destaca o foco de seu partido na área de infraestrutura.

    Ele prometeu construir a ponte na província de Busia depois de um barco com 11 pessoas ter virado no rio, matando todos os passageiros.

    De acordo com a companhia chinesa China Overseas Engineering Group, contratada pelo governo queniano, a ponte, originalmente prevista para terminar em julho, pode vir a ser reparada, mas seu custo original irá aumentar.

    O incidente com a ponte não é uma boa notícia inclusive para as companhias chinesas que operam na África. Durante a última década, os funcionários e companhias têm trabalhado para superar a reputação de má qualidade e baixos padrões de segurança. Partes de uma rodovia, construída por empresas chinesas na Zâmbia, foram levadas pelas chuvas em 2009, enquanto um hospital em Angola foi evacuado por receios que pudesse desabar em 2010. Ambos os incidentes foram encobertos pela mídia local.

    Mais:

    Juncker: Países da UE não estão contribuindo o suficiente com fundo de apoio à África
    China apoia roteiro da Rússia para solução da situação norte-coreana
    Tags:
    ponte, tragédia, vítimas, Quênia, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik