04:16 20 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Forças dos EUA em Manbij, Síria, foto de arquivo

    Exército dos EUA se instala no sul da Síria 'para dividir o país'

    © AFP 2017/ DELIL SOULEIMAN
    Oriente Médio e África
    URL curta
    13683911438

    A chancelaria russa declarou que os EUA estão aumentando sua presença militar nas regiões do sul da Síria, violando assim o direto internacional.

    O cientista politico militar Andrei Koshkin disse ao serviço russo da Rádio Sputnik que os militares norte-americanos planejam permanecer na Síria durante muito tempo.

    A representante oficial da chancelaria russa, Maria Zakharova, declarou durante uma coletiva de imprensa que os EUA estão reforçando sua presença militar nas regiões do sul da Síria, violando o direito internacional.

    Militares americanos e rebeldes do Maghaweer al-Thawra, apoiado pelos EUA, em Tanf, no sul da Síria
    © AP Photo/ Hammurabi's Justice News
    Segundo ela, o lado russo está perplexo por causa da informação sobre o destacamento de forças dos EUA para a base da coalizão internacional perto da cidade de Al Tanf. As forças consistem de lançadores múltiplos de foguetes Himars e de um contingente militar adicional numa povoação que fica ao nordeste de Al Tanf.

    O cientista politico militar e chefe do Departamento de Ciências Sociais e Políticas da Universidade Plekhanov, Andrey Koshkin, disse que depois da derrota das principais forças do Daesh (grupo terrorista proibido na Rússia e muitos outros países), os EUA tencionam manter sob seu controle uma parte do território sírio.

    "Provavelmente, hoje já podemos constatar que o chamado Estado Islâmico está terminando sua existência. Resta só um pouco – as cidades de Raqqa e Mossul, e depois será preciso tomar sob controle os terrenos que estavam ocupados pelos militantes. E nesse momento importante, considera o Pentágono, é preciso aumentar os esforços", disse o cientista político.

    Caça F-15E Strike Eagle da Força Aérea americana
    © REUTERS/ U.S. Air Force/Senior Airman Matthew Bruch/Handout
    Ele lembrou que uma situação semelhante foi observada durante a Segunda Guerra Mundial – naquela altura os EUA demoraram a abertura da segunda frente e abriram-na só quando já se iniciou a divisão do território. O especialista supõe que eles vão fazer a mesma coisa e querer dividir o território soberano da Síria.

    Segundo ele, o destacamento de material bélico para o sul da Síria mostra que os EUA vão impedir a instalação do controle de Damasco sobre essa região.

    Koshkin opina que, lamentavelmente, os EUA vão usar os lançadores múltiplos de foguetes Himars contra as forças governamentais se elas se aproximarem para tomar sob seu controle os territórios que os EUA já dominam.

    Mais:

    Senador americano: base dos EUA na Síria é violação óbvia do direito internacional
    Casa Branca não acredita que EUA estão à beira de uma guerra com Rússia na Síria
    'Terrorismo sob a capa de Estado': mídia norte-coreana critica campanha dos EUA na Síria
    Tags:
    coalizão internacional, exército, mísseis, HIMARS, Al Tanf, Síria, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik