00:51 29 Junho 2017
Ouvir Rádio
    O ataque do Irã contra os terroristas na província síria de Deir ez-Zor

    'Com Irã não se brinca': uma mensagem clara a Israel, EUA e Arábia Saudita

    © AP Photo/ Morteza Fakhrinejad
    Oriente Médio e África
    URL curta
    86111636312

    O ataque do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica contra os terroristas na província síria de Deir ez-Zor é um aviso direto não apenas aos jihadistas, mas também a seus patrocinadores: Israel, EUA e Arábia Saudita, afirmou à Sputnik Persa Husein Sheijoleslam, conselheiro do ministro das Relações Exteriores do Irã.

    "Está claro que é uma mensagem não apenas para os terroristas, mas também para seus patrocinadores: Israel, EUA e a monarquia governante da Arábia saudita, que, de facto, [através dos terroristas] realizaram uma série de massacres na região. O Irã, em qualquer caso, tem a liberdade de exibir seu poderio e levar a cabo um ataque em qualquer lugar onde os terroristas se escondam. É um aviso a todos aqueles que criaram e continuam criando o mal na região", assinalou Husein Sheijoleslam.

    O diplomata iraniano advertiu que, caso seja necessário, o Irã está disposto a repetir o ataque com mísseis contra os jihadistas, coordenando-o com os países da coalizão (Síria, Líbano, Iraque, Rússia).

    Outro interlocutor da Sputnik Persa, próximo ao Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica, Shemshadi Hasan, sublinhou que o ataque foi cuidadosamente coordenado e bem pensado.

    "Isso demonstra a coerência e alto nível da inteligência. É um aviso aos terroristas: onde quer que estejam, localizá-los-emos", declarou Shemshadi Hasan.

    Segundo o especialista, Deir ez-Zor é uma região onde os terroristas do Daesh (proibido na Rússia) se concentraram após terem sido derrotados em outras frentes. Assentaram nesta província com todas suas armas e equipamento, acrescentou.

    Ao mesmo tempo, Shemshadi Hasan frisou que o ataque realizado pelo Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica é uma mensagem para todos aqueles que apelam ao conflito com o Irã.

    "É uma mensagem para todos os ‘amigos' estrangeiros dos terroristas. Com o Irã não se brinca", sublinhou.

    Shemshadi Hasan recordou que "depois da primeira viagem de Trump à Arábia saudita, foram firmados vários acordos de bilhões de dólares para o fornecimento de armas norte-americanas, e Riad declarou que se aproximaria das fronteiras do Irã para, supostamente, castigar o país por todas as coisas que fez na região".

    "Mas este ataque é uma ligeira bofetada aos terroristas e, caso não parem suas ações destrutivas…vamos dar-lhes uma bofetada ainda mais forte", avisou.

    Mais:

    Irã e China começam manobras conjuntas no golfo Pérsico no meio de crise regional
    Senador americano: base dos EUA na Síria é violação óbvia do direito internacional
    Tags:
    combate ao terrorismo, conflito armado, Israel, Arábia Saudita, EUA, Síria, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik