02:20 26 Maio 2019
Ouvir Rádio
    Foto queimada do líder terrorista al-Baghdadi no protesto em Nova Delhi realizado em 9 junho de 2017

    O que será do Daesh caso morte de seu líder seja confirmada?

    © AFP 2019/ Prakash SINGH
    Oriente Médio e África
    URL curta
    490

    Um ataque de aviões russos contra a cidade síria de Raqqa, nos finais de maio passado, pode ter matado o líder da organização terrorista Daesh (proibida na Rússia e em vários outros países), Abu Bakr al-Baghdadi, de acordo com dados não confirmados, afirma o Ministério da Defesa russo.

    O chanceler russo, Sergei Lavrov, por sua vez, sublinhou que a Rússia não pode confirmar a 100% a morte do líder jihadista Abu Bakr al-Baghdadi.

    "Desde então, estou a par desses relatórios, mas não posso confirmar a informação a 100%", declarou Lavrov a jornalistas.

    Ao mesmo tempo, o chefe da diplomacia russa sugeriu não sobrestimar a eventual eliminação do cabecilha terrorista.

    "As ações que têm como objetivo destruir, decapitar os grupos terroristas, costumam ser apresentadas com muito entusiasmo e pompa, mas a experiência demostra que essas estruturas restabelecem logo sua capacidade de combate", assinalou Lavrov.

    De acordo com o senador russo Aleksei Pushkov, a morte do líder do Daesh aceleraria a derrota dos terroristas.

    "A morte de Abu Bakr al-Baghdadi seria um golpe duro para o Daesh, se esta for confirmada. O grupo está recuando em todas as frentes. A morte do seu líder aceleraria sua derrota militar", escreveu ele no Twitter.

    O vice-presidente do Comitê Internacional do Conselho da Federação (Senado) russo, Andrei Klimov, sublinhou que a morte do líder debilitaria o Daesh, mas não determinaria o final da luta contra o terrorismo.

    A possível morte de Abu Bakr al-Baghdadi poderia contribuir para a libertação de Raqqa, proclamada pelos terroristas como a capital do Daesh, de acordo com o senador russo Viktor Ozerov, presidente do Comitê de Defesa e Segurança do Conselho da Federação, entrevistado pela Sputnik.

    De acordo com o legislador, a morte do líder costuma romper a estrutura dominante de um grupo, o que ocorrerá com o Daesh se a morte de Abu Bakr al-Baghdadi for confirmada.

    Ao mesmo tempo, o especialista russo em assuntos militares, Viktor Murakhovsky, questionou o fato de Abu Bakr al-Baghdadi ser o verdadeiro líder do Daesh.

    "Poderia ter estado ali no momento do ataque aéreo russo e poderia ter sido assassinado, mas isto não teria nenhum impacto sério no desenvolvimento do conflito na Síria", afirmou Murakhovsky à Sputnik.

    De acordo com o analista, sendo uma organização terrorista, o Daesh opera melhor como uma estrutura de redes.

    "Al-Baghdadi não é o comandante-em-chefe, não dá ordens ao Estado-Maior que planeja as operações militares […] Os grupos que se comprometeram ser leais ao Daesh são bastante autônomos. Abu Bakr al-Baghdadi é, digamos, seu líder ideológico. Não dirige operações militares", explicou.

    A reportada morte de Abu Bakr al-Baghdadi não desorganizaria as fileiras do Daesh, afirma o especialista militar egípcio, general Nabil Fuad.

    "Isto não conduziria a um avanço estratégico. Estas organizações se baseiam no princípio de liderança rotativa no caso da morte de seu líder […] Possivelmente, a morte de al-Baghdadi teria um impacto negativo no estado moral dos terroristas", afirmou Fuad à Sputnik.

    Mais:

    Foi revelado para onde vão cabecilhas do Daesh depois de fugirem de Raqqa e Mossul
    'Daesh é fruto do projeto Ninho de Vespas gerenciado por EUA e Arábia Saudita'
    Daesh e instabilidade no Oriente Médio são culpa dos EUA, diz iraniano Khamenei
    Tags:
    ataque aéreo, terrorismo islâmico, Conselho da Federação, Daesh, Aleksei Pushkov, Sergei Lavrov, Abu Bakr al-Baghdadi, Iraque, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar