10:24 19 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    Soldados norte-americanos no nordeste da Síria

    Foreign Policy: Casa Branca insiste em aumentar atividade militar na Síria

    © AFP 2017/ AHMAD AL-RUBAYE
    Oriente Médio e África
    URL curta
    14118107

    Dois altos funcionários da Casa Branca insistem no aumento da atividade militar na Síria, no entanto, o chefe do Pentágono é contra.

    De acordo com a edição Foreign Policy, o diretor da Segurança Nacional da Casa Branca, Ezra Cohen-Watnik, e o conselheiro da Segurança Nacional para assuntos da Síria, Derek Harvei, querem que EUA passem à ofensiva na direção sul, mas o secretário da Defesa, James Mattis, rejeitou a proposta.

    Mattis, bem como alguns outros responsáveis da Casa Branca e representantes do comando militar, considera que este "passo arriscado" levará os EUA a "uma confrontação perigosa com o Irã" e pode resultar em ataques contra os militares americanos deslocados no Iraque e Síria.

    O chefe do Pentágono, o representante dos EUA na coalizão contra o Daesh (grupo terrorista, proibido na Rússia), Brett McGurk, e o chefe dos estados-maiores das Forças Armadas americanas, Joseph Dunford, defendem que o país deve se focar na expulsão dos jihadistas dos seus baluartes, inclusive de Raqqa.

    Anteriormente havia sido informado que os militares norte-americanos deslocaram dois lançadores múltiplos de foguetes (LMF) HIMARS da Jordânia para a base de Al-Tanf, no sul da Síria.

    A coalizão internacional liderada pelos EUA está realizando uma operação militar na Síria contra os militantes do grupo Daesh desde 2014. Mas a coalizão está atuando sem autorização do governo legítimo do país.

    Mais:

    Washington 'vai querer ocupar certas porções da Síria'
    Rex Tillerson revela prioridades de Washington na Síria
    Coalizão liderada pelos EUA mata mais de 30 civis com bombardeio na Síria
    Ataque aéreo liderado pelos EUA mata 35 civis na Síria
    Tags:
    coalizão internacional, Casa Branca, James Mattis, Iraque, EUA, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik