00:33 14 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Um bombardeiro estratégico B-52 da Força Aérea dos EUA chega a base militar norte-americana de Al Udeid no Qatar (foto de arquivo)

    Qatar estranha as críticas de Trump, após décadas de cooperação militar

    © REUTERS / U.S. Air Force/Tech. Sgt. Terrica Y. Jones
    Oriente Médio e África
    URL curta
    1280
    Nos siga no

    O ministro das Relações Exteriores do Qatar, Mohammed bin Abdulrahman Al Thani, disse em entrevista à emissora RT Arabic considerar 'estranhas' as críticas ao Qatar, anunciadas pelo presidente dos EUA, Donald Trump, após anos de cooperação militar entre Doha e Washington.

    Qatar hospeda a principal base militar dos EUA no Oriente Médio. Nesta sexta-feira, no entanto, Trump acusou Doha de "financiar o terrorismo em nível muito alto". Trump acrescentou que, durante a Cúpula entre os países árabes e os EUA, realizada na capital saudita em maio, os líderes regionais haviam discutido com o ele a necessidade de enfrentar o Qatar, em função do seu apoio ao terrorismo.

    "As relações entre o Qatar e os Estados Unidos são tradicionais e dura há décadas. Após a assinatura do acordo de cooperação militar e do acordo de concessão de benefícios militares, o Qatar dedicou muitos esforços na luta contra o terrorismo e contribuiu significativamente para essa causa junto aos aliados, liderados pelos Estados Unidos", disse Al Thani, durante sua visita a Moscou neste sábado.

    "Foi estranho ouvir as declarações do presidente dos EUA, feitas com base nas opiniões dos outros chefes de Estado, que ocupavam certas posições em relação ao Qatar", disse o ministro.

    Diversas estruturas do governo dos EUA já destacaram o papel de Doha na combate conjunto contra o terrorismo, de acordo com Al Thani. O Qatar, por outro lado, não pode concordar com os Estados Unidos em todas as posições. Por exemplo, Washington considera o movimento palestino Hamas como um grupo terrorista, enquanto os países árabes o consideram um movimento de resistência legítimo, acrescentou o diplomata.

    "O Qatar não apoia o Hamas, mas apoia o povo palestino. O nosso apoio aos palestinos é óbvio. Cooperamos com o governo palestino oficial. A presença do Hamas no Qatar não significa que o Qatar o oferece suporte. O Hamas está presente no Qatar enquanto uma entidade política", explicou Al Thani.

    A entrevista foi realizada em meio à crise diplomática entre o Qatar e a Arábia Saudita, Bahrein, Emirados Árabes Unidos e Egito, que cortaram os laços com Doha na segunda-feira passada, depois de acusar o país de apoiar o terrorismo e de desestabilizar o Oriente Médio.

    Na quarta-feira, a mídia informou que Riad estabeleceu várias condições para normalizar as relações bilaterais com Qatar, entre as quais estava a expulsão de todos os membros do grupo terrorista da Irmandade Muçulmana (proibido na Rússia) e do movimento palestino Hamas do país, bem como a imediata ruptura dos laços diplomáticos com o Irã.

    Mais:

    Doha: futuro da Al-Jazeera é assunto interno do Qatar
    Apesar da crise: Qatar reafirma interesse em relações positivas com o Irã
    Tags:
    cooperação militar, RT Arabic, RT, Mohammed bin Abdulrahman Al Thani, Qatar, Oriente Médio, Moscou, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar