15:58 26 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    Amanhecer de fogo no Irã (11)
    110
    Nos siga no

    O número das vítimas mortais no ataque duplo na capital iraniana na quarta-feira (7) aumentou de 13 para 17, informou a mídia local na quinta-feira (8).

    "O número das vítimas aumentou para 17. Foi confirmada a identidade de 13 delas, continua o processo de identificação das restantes", informa a agência ISNA.

    Mais cedo, surgiram informações sobre 13 motos e 43 feridos.

    Na manhã de 7 de junho, a capital iraniana sofreu dois atentados terroristas, um contra o parlamento e outro contra o Mausoléu do aiatolá Ruhollah Khomeini.

    Um grupo de quatro pessoas armadas, que estavam vestidos de mulheres, abriu fogo dentro do prédio do parlamento do Irã, seguido por uma explosão. Outro ataque com explosão teve lugar perto do Mausoléu do aiatolá Khomeini, um memorial ao fundador da República Islâmica do Irã.

    De acordo com o Ministério da Inteligência iraniano, um terceiro ataque foi abafado a tempo.

    Mais tarde, o grupo terrorista Daesh (proibido na Rússia) reivindicou a responsabilidade pelos ataques.

    Segundo dados da mídia, o grupo de invasores conseguiu entrar no parlamento após atirar nos guardas do edifício, matando ao menos dois deles. Nenhum parlamentar ou funcionário sofreu ferimentos durante o ataque.

    A operação antiterrorista no parlamento resultou na eliminação de todos os quatro criminosos.

    Líderes internacionais, incluindo o presidente da Rússia Vladimir Putin, expressaram condolências ao presidente do Irã, Hassan Rouhani em relação aos atentados. Putin, nomeadamente, reafirmou a prontidão da Rússia no combate ao terrorismo juntamente com a República Islâmica do Irã.

    Tema:
    Amanhecer de fogo no Irã (11)

    Mais:

    Vice-presidente americano chama Rússia e Irã de maiores ameaças mundiais
    Grande Satã: Irã diz que até aliados dos EUA sabem que não se pode confiar em Washington
    Tags:
    atentado, vítimas, terrorismo, Teerã, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar