17:51 05 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    216
    Nos siga no

    A Médicos Sem Fronteiras relatou a ocorrência de um ataque contra um hospital em Ghouta Oriental, perto de Damasco, motivo que levou a organização a suspender suas atividades nessa localidade síria.

    Na última semana, um grupo de jihadistas invadiu o hospital de Hazzeh e aterrorizou funcionários e pacientes, matando um paramédico e roubando uma ambulância. 

    Em entrevista à Sputnik França, o médico Said Fliti, um dos coordenadores da MSF na Síria, disse que esse ataque deixou a situação muito difícil para os profissionais que atual naquela região, que está sob controle de rebeldes que lutam para derrubar o atual governo sírio. 

    "Dois dias seguidos, em 29 e 30 de abril, um grupo de 30 homens armados e mascarados invadiu o hospital procurando por pacientes específicos. Eles levaram uma ambulância e mataram um dos auxiliares da equipe médica. Nós condenamos fortemente esse ataque", afirmou Fliti. 

    Embora a MSF tenha garantido que os responsáveis por esse ato de terror fazem parte da oposição armada, ainda não está claro qual milícia realizou a invasão. 

    Mais:

    Rússia envia aviões com hospital de campanha, médicos e equipamentos à Síria
    Hospital dos Médicos sem Fronteiras é bombardeado no Iêmen por coalizão saudita
    Tags:
    rebeldes, hospital, Médicos Sem fronteiras, Said Fliti, Damasco, Síria, Ghouta
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar