14:38 23 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Mulheres do exército sírio

    Estas mulheres pretendem tomar o poder na ex-capital do 'Estado terrorista'

    © AFP 2017/ Joseph Eid
    Oriente Médio e África
    URL curta
    31472124

    Na véspera, na província síria de Raqqa decorreu a reunião fundadora da Assembleia Civil de Raqqa, destinada a tomar o controle da região após a província ser libertada, informa a agência curda Firat.

    De acordo com a agência, da reunião, realizada na povoação de Ayn Isa (no norte de Raqqa), participaram representantes das comunidades curdas, árabes e turcomenas, que instituíram o Conselho da Assembleia, constituído por cinco elementos e 14 comitês — de defesa, educação, energia e outros, assim como elegeram os dois copresidentes da Assembleia.

    Uma das copresidentes da Assembleia, Leyla Mustafa, revelou em entrevista à Sputnik Turquia a intenção da Assembleia de tomar Raqqa sob seu controle depois de a cidade ser libertada do Daesh pelas Forças Democráticas da Síria (FDS). Ela lembrou que a operação para a libertação de Raqqa começou em novembro de 2016, tendo sido libertadas até o momento várias povoações. Atualmente, as Forças Democráticas da Síria estão tentando tomar sob controle a cidade de Tabqa e a represa do mesmo nome.

    Segundo Leyla Mustafa, a Assembleia Civil de Raqqa foi criada para governar os territórios libertados do Daesh, sendo seu objetivo principal satisfazer as necessidades do povo e dar aos habitantes de Raqqa a possibilidade de tomar suas próprias decisões no que diz respeito à administração do seu território. A representante destaca que foram os habitantes de Raqqa que decidiram criar a assembleia, isto é, o povo está preparado para governar a sua cidade. Descrevendo a estrutura da Assembleia, ela disse terem sido instituídos 14 comitês, cujo objetivo principal é melhorar as condições de vida do povo quanto à eletricidade, água potável e satisfação das necessidades dos refugiados.

    "A assembleia conta com a participação de 14 mulheres e representa todas as camadas populacionais. Temos representantes das comunidades árabes, turcomenas e curdas. Quando Raqqa for libertada, nós nos mudaremos para lá e realizaremos nossas atividades na própria cidade", disse Leyla Mustafa falando do fato que da Assembleia fazem parte também mulheres e jovens.

    Leila Mustafa
    © Sputnik/ Hikmet Durgun
    Leila Mustafa
    De acordo com ela, as Forças Democráticas da Síria continuam sua operação militar. Não se sabe quando ela vai acabar, mas as FDS estão passando o controlo de todas povoações libertadas do Daesh à Assembleia, que depois realiza suas atividades nestes territórios.

    Mais:

    EUA atacam 'acidentalmente' posições de forças antiterroristas perto de Raqqa
    Exército da Síria toma controle de montes e represa perto de Palmira
    Tags:
    terrorismo islâmico, guerra, FDS, Ayn Isa, Raqqa, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik