17:42 19 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Fumaça e fogo captados após a explosão de um carro-bomba na cidade de Mossul, Iraque, durante os combates entre forças iraquianas e terroristas do Daesh (grupo proibido na Rússia), 5 de março

    Daesh usa gás venenoso para impedir avanço impetuoso das tropas iraquianas

    © AFP 2017/ Aris Messinis
    Oriente Médio e África
    URL curta
    0 39515

    No sábado passado (15), os militantes do agrupamento terrorista Daesh – proibido na Rússia – lançaram mísseis com gás tóxico nos bairros libertados da cidade de Mossul, comunicou a agência Associated Press, citando um militar iraquiano.

    O representante do Comando das Operações Conjuntas para Libertação de Mossul, general da brigada Yahii Rasul, disse à Sputnik Árabe que este ataque químico dos terroristas visava impedir o avanço das tropas iraquianas contra as posições do Daesh na parte ocidental da cidade.

    O militar adiantou que, felizmente, o ataque não produziu vítimas, sendo que os militantes não conseguiram alcançar seu objetivo, e a libertação da cidade continua na mesma.

    "Para o sucesso, contribui o trabalho da aviação militar que comunica a localidade dos grupos terroristas", explicou, acrescentando que o final bem-sucedido da operação já não é um sonho, mas apenas uma questão de tempo.

    Segundo dados da inteligência, dos quais Yahii Rasul dispõe, nas mãos dos militantes havia uma pequena quantidade de substâncias tóxicas, mas estas são de baixa qualidade e não representam grande perigo. Espera-se, porém, que os terroristas continuem usando as armas químicas contra os civis.

    As tropas iraquianas, que fazem parte de uma coalizão liderada pelos EUA, iniciaram as operações de libertação de Mossul em outubro de 2016. A parte oriental da cidade já foi libertada. Em fevereiro, o governo iraquiano anunciou o início da operação para libertar a parte ocidental da cidade.

    Em março deste ano, as forças de Bagdad anunciaram que os terroristas em Mossul estavam cercados.

    Uma fonte local confiável iraquiana comunicou à Sputnik as datas dos ataques químicos em Mossul, que foram efetuados através de explosões de automóveis ou lançamento de mísseis com substâncias tóxicas.

    18 de abril

    É efetuado um ataque de cloro no bairro antigo da parte ocidental da cidade, deixando vários feridos entre os civis. Um voluntário da organização de médicos americana recolhe amostras e examina os feridos no resultado dos ataques.

    15 de abril

    O Daesh utiliza cloro para romper o avanço do Exército iraquiano na cidade antiga.

    12 de abril

    Os terroristas preparam um automóvel com explosivos e substâncias tóxicas para atacar uma casa de refugiados que voltaram lá após a libertação desta parte da cidade. Porém, o carro se explodiu antecipadamente, 8 terroristas morreram.

    6 de abril

    O Daesh usa iperite contra as tropas iraquianas na cidade antiga perto de Bab al-Jadid.

    21 de março

    As armas químicas são usadas contra o exército iraquiano e os civis, 4 pessoas ficam feridas. Um grupo americano realiza uma investigação e confirma que os terroristas, com efeito, utilizaram as armas tóxicas.

    5 de março

    O Daesh lança mísseis com substâncias químicas venenosas contra o bairro Al-Rashidia, deixando dezenas de pessoas gravemente feridas.

    Mais:

    Destacamentos curdos eliminam terroristas do Daesh
    Forças sírias libertam dezenas de mulheres e crianças yazidi das mãos do Daesh
    Eliminado 'ministro da guerra' do Daesh que treinou nos EUA por 5 anos
    Tags:
    libertação, investigação, armas químicas, Exército do Iraque, Daesh, Mossul, Iraque
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik